Polícia

‘Toque de Midas’: operação faz apreensão de documentos em prefeitura

Casa de ex-prefeito também foi alvo da operação

Thatiana Melo Publicado em 04/04/2017, às 12h38

None
operacao_pf.jpg

Casa de ex-prefeito também foi alvo da operação

A operação ‘Toque de Midas’ deflagrada na manhã desta terça-feira (3), na cidade de Paranhos distante 477 quilômetros de Campo Grande, fez  apreensão de documentos na prefeitura da cidade.

De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura, os policiais federais levaram vários documentos em cumprimento de mandados de busca e apreensão deflagrada pela operação. Ainda segundo informações, a casa do ex-prefeito da cidade, Júlio Cesar de Souza, do PDT, foi alvo da operação.

Não há informações se na residência do ex-prefeito foram cumpridos mandados de busca e apreensão ou de condução coercitiva. A operação conta com 50 policiais federais e servidores da CGU (Controladoria Geral da União).

A operação

A operação cumpre oito mandados de busca e apreensão, um mandado de condução coercitiva, além do sequestro nas consta bancárias de três empresas, no valor de R$ 400 mil.

Durante as investigações foram descobertos a montagem e manipulação de documentos em certames públicos, além da prática de sobre preço. A organização criminosa utilizava documentos e assinaturas falsas com a manipulação em procedimentos licitatórios.

De acordo com informações, o prejuízo pode chegar a R$ 1 milhão com aquisições de recursos do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) e a contrapartida municipal. Os mandados foram expedidos pela Justiça estadual e federal de Mato Grosso do Sul.

O nome

A Operação foi batizada de Toque de Midas, por se tratar de uma expressão oriunda de um mito grego a qual expressa que o enriquecimento fácil pode se voltar contra o beneficiado, como castigo por sua ganância.

Jornal Midiamax