Polícia

Preso suspeito de esfaquear 4 e matar ‘Smigle’ durante briga no Aero Rancho

Vitima que morreu, foi encontrada a seis quadras do local do crime

Midiamax Publicado em 12/04/2017, às 20h59

None
62.jpg

Vitima que morreu, foi encontrada a seis quadras do local do crime

Há exatamente 30 dias, de uma briga generalizada que deixou três esfaqueados e um morto no Aero Rancho, em Campo Grande, a polícia prendeu o suspeito da autoria e um suposto comparsa que teria ajudado na fuga. Higor Larson Tomitha da Silva, de 27 anos, conhecido ‘Curumin’ e Renato Rodrigues Marimoto, de 30 anos, conhecido como “Dentinho” foram apresentados nesta quarta-feira (12), no 5ª Delegacia de Polícia Civil.

Segundo o delegado Jairo Carlos Mendes, o crime ocorreu no dia 12 de março,  por volta da meia noite, na Rua Primola.

Higor teria esfaqueado o dono de uma conveniência, em seguida um filho e seu pai, que tentou defender o familiar, e por último, um morador da região conhecido como “Smigle”, que foi encontrado ferido, a seis quadras do local do crime, em um local conhecido como “Favelinha”.

Conforme Jairo, testemunhas relatam que o Higor chegou como passageiro de uma motocicleta pilotada por Renato e no local encontrou um desafeto. O encontro resultou em uma briga generalizada, e em seguida esfaqueamentos.

A Polícia Civil acredita que “Smigle” tenha sido tirado do local para a desconfigurar o crime, e, para que a vítima morresse na clandestinidade. Muito ferido, o morador chegou a ser levado à Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos.

O Higor disse ao Jornal Midiamax que só esfaqueou as vítimas, porque foi agredido e teve a motocicleta quebrada. “Vieram para cima de mim, não sei porque fizeram isso comigo. Perdi a cabeça, tinha mais de 12 moleques que vieram para cima de mim e esfaqueei para me defender. Mas estou arrependido”, disse.

Já Renato disse que não participou do crime e não ajudou na fuga de Higor. “Não sei nem porque me trouxeram aqui”, disse.

Segundo o delegado, Renato tem passagens por porte ilegal de arma, furto e porte de drogas. Higor tem passagens por tráfico de drogas, porte ilegal de arma e outro homicídio.

A princípio, a dupla será indiciada por homicídio duplamente qualificado e tripla tentativa de homicídio. 

Jornal Midiamax