Polícia

Policial aposentado que invadiu hospital levava neto que ele mesmo esfaqueou

Rapaz passou por cirurgia 

Thatiana Melo Publicado em 21/06/2017, às 15h02

None

Rapaz passou por cirurgia 

O policial aposentado de 60 anos que agrediu um recepcionista e uma enfermeira na Santa Casa de Campo Grande, na noite desta terça-feira (20), teria ido levar o neto, de 18 anos, para atendimento médico depois de esfaquear o garoto.

Segundo informações da assessoria da Santa Casa, o policial chegou com o neto ensanguentado momento em que funcionários foram retirar o garoto do carro para atendimento médico e ele desmaiou deixando o avô transtornado.

O policial passou a agredir o recepcionista e uma enfermeira do hospital, além de ameaçar o funcionário de morte afirmando que voltaria armado para o hospital. O rapaz contou a um médico que teria tido uma discussão com o avô, sendo esfaqueado por ele. O jovem passou por cirurgia e continua internado no hospital.

O autor já teria sido condenado pela Justiça por uma tentativa de homicídio, em Campo Grande. Em 2007, o policial foi esfaqueado na cidade de Anastácio quando estava em uma lanchonete e teria discutido com um homem no local.

Já em 2012, o policial foi preso em decorrência de um mandado de prisão preventiva por ameaçar a esposa e a filha. E em 2013 foi condenado há 4 anos e 5 meses no regime semiaberto por uma tentativa de homicídio, em Campo Grande.Policial aposentado que invadiu hospital levava neto que ele mesmo esfaqueou

Em 2015, depois de laudos periciais que constataram uma ‘grave perturbação da saúde’, o juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri substituiu a pena no regime do semiaberto por ‘medida de segurança consistente em tratamento ambulatorial por tempo indeterminado’.

Para manter a liberdade, o policial aposentado precisa cumprir algumas determinações, como comparecer bimestralmente ao Patronato Penitenciário, para comunicar e comprovar ao juízo a regularidade do tratamento, residência fixa e os documentos pertinentes, não sair de Campo Grande sem aviso prévio, não sair de casa após às 20 horas, não se ‘apresentar embriagado em local público’ e não praticar ‘fato definido como crime doloso’.

Jornal Midiamax