Polícia

PMA autua pecuarista campo-grandense R$ 9 mil por desmatamento

Na margem da BR 163 

Diego Alves Publicado em 20/08/2017, às 22h32

None

Na margem da BR 163 

Uma equipe de Policiais Militares Ambientais de Campo Grande que estava a campo, chegou hoje (19) a Capital com o resultado da missão, de realização de mais uma autuação por desmatamento na zona rural do município, levantado por imagens de satélites. Outra equipe já havia autuado ontem (18) dois produtores rurais, residentes na Capital, pelo mesmo motivo.PMA autua pecuarista campo-grandense R$ 9 mil por desmatamento

Em uma fazenda, à margem da BR 163 na zona rural do município, a equipe da PMA de Campo Grande realizou fiscalização e autuou ontem (18), um pecuarista (69), por desmatamento de área de vegetação de cerrado sem autorização do órgão ambiental.

O fazendeiro, residente em Campo Grande, desmatou uma área de 9 hectares há algum tempo e já havia plantado pastagem na área. As atividades foram interditadas. O infrator foi autuado administrativamente e multado em R$ 9.000,00. Ele também responderá por crime ambiental, que prevê pena de seis meses a um a ano de detenção.

O infrator foi notificado a apresentar um plano de recuperação de área degradada e alterada (PRADA), junto ao órgão ambiental.

OPERAÇÃO CACHORRO VINAGRE (PMA e MPE) – A Polícia Militar Ambiental está realizando há algum tempo, em parceria com o Ministério Público Estadual (MPE), uma operação denominada “Cachorro Vinagre”, que objetiva a realizar levantamentos por imagens de satélites de desmatamentos ilegais em todo o Estado. Com as áreas de desmatamentos levantadas, são cruzados os dados dos licenciamentos e, em seguida, as pessoas que realizaram desmatamentos ilegais são autuadas por equipes da PMA.

Diversas autuações já foram realizadas em todo o Estado. Algumas por desmatamentos recentes, outras, quando iniciavam os desmatamentos ilegais e, algumas a infração era mais antiga e na área desmatada já havia o plantio de pastagem ou lavoura.

ALERTA – A PMA alerta para que os proprietários rurais realizem o licenciamento ambiental antes de efetuar a alternativa do desmatamento. Os levantamentos realizados pelas imagens localizam grandes, médios e pequenos desmatamentos, bem como os antigos, recentes e em processamento. Dessa forma, não adianta o infrator pensar que não será descoberto, pois, será e, quando for, responderá administrativamente (multas), penalmente (crime) e na instância civil (pois terá que reparar o dano).

Jornal Midiamax