Caso aconteceu na sexta-feira (3)

Com o filho internado em estado grave na Santa Casa da Capital, depois de ter o intestino rompido por causa da introdução de um compressor de ar no ânus, pelo patrão do lava-jato onde trabalhava, agora a família está sendo perseguida por familiares do dono do estabelecimento, segundo o pai da vítima.

O pai do jovem de 17 anos disse a equipe do Jornal Midiamax que a sogra do dono do lava-jato, que fica na Avenida Interlagos, em , teria ido até a residência dele na tentativa de encontrá-los. “Ela foi em casa, mas estávamos todos no hospital. Em seguida ela veio procurar meu filho aqui na Santa Casa, mas acabou sendo barrada na porta”, disse.

Ainda de acordo com o pai, a família passou a receber ligações da mulher. “Me ligou dizendo que a gente só queria dinheiro. Eu só estou pensando na vida do meu filho. O que eu quero é Justiça”, afirmou.

Esta não é a primeira vez que o adolescente é vítima da ‘brincadeira' do amigo e do patrão no lava-jato. Segundo o pai do jovem, na segunda-feira (30) deram balas de massinha de modelar para o adolescente, que passou mal.

“Ele chegou em casa vomitando e com dores no estômago, foi quando minha mulher foi até a casa do amigo que disse ter dado massa de modelar para meu filho comer”. Ainda de acordo com informações, o suposto amigo sumiu desde o fato.

“Era o primeiro emprego do meu filho. Ele estava feliz e fazia planos de comprar uma motocicleta. Mataram meu filho”, finaliza o pai.

Estado de saúde

Conforme a assessoria de imprensa da Santa Casa, o jovem está na área vermelha, local destinado a pacientes em risco, porém está consciente e em uma situação estável. A equipe médica, responsável, pela cirurgia do paciente informou ao Jornal Midiamax, que o procedimento ligou os intestinos, tendo em vista, a perda de metade do grosso.

 As paredes do intestino grosso se expadiram e, por essa razão, estão extremamente finas. De acordo com o grupo cirúrgico a recuperação é possível, mas demanda tempo. Com relação ao ar contaminado, que invadiu parte do corpo do garoto, principalmente, testículos, pernas e braços, os médicos devem aguardar respostas do corpo do paciente, cerca de 2 a 3 dias.

O caso

O crime ocorreu na útima sexta-feira (3), quando o dono do lava-jato, de 23 anos, com a ajuda de outro funcionário, de 31 anos, introduziram a mangueira de um compressor no ânus do garoto, que também trabalhava no local. 

De acordo com os familiares e com o que consta no boletim de ocorrência, o funcionário segurou o jovem enquanto o dono inseriu o aparelho no corpo da vítima. No mesmo momento, o adolescente passou mal, vomitou e os autores perceberam que o estado era grave.

O autor chegou a telefonar para o irmão do jovem dizendo, apenas, que ele teria passado mal e que ele havia sido levado ao CRS do Tiradentes. Porém, ao dar entrada na Unidade foi transferido às pressas à Santa Casa, onde passou por uma cirurgia de reconstrução de intestino com duração de 6 horas.

Logo depois, o próprio dono do lava-jato foi até a casa da vítima e informou que o adolescente havia sido levado à Santa Casa, porém mais uma vez não disse o que tinha acontecido. A familiar só ficou sabendo do ocorrido pelo médico.

A mãe do jovem, de 44 anos, informou ainda que a força do ar foi tão forte que ‘inflou' os testículos do jovem e alcançou quase todo o corpo, principalmente pernas e braços.