Vítima foi levada para a Santa Casa 

O comando-geral do vai apurar a tentativa de resgate a um homem de 28 anos que ameaçava tirar a vida se jogando do pontilhão da Rua Ceará, em , na noite de sábado (26). A vítima acabou caindo, mesmo com a presença dos militares e foi socorrida a Santa Casa. As imagens do caso rivalizaram nas redes sociais

Segundo a assessoria de comunicação do Corpo de Bombeiros, os militares foram chamados por populares e quando chegaram ao local encontraram a vítima na parte mais alta do pontilhão. Foram feitas negociações e em um primeiro momento, o homem colaborou e caminhou até as laterais, parte mais baixa da construção.

Depois de um determinado momento, a vítima parou de responder as equipes e se pendurou na grade do pontilhão. Pelo menos dois militares tentam segurar ele pelo braço e um terceiro desce de rapel para tentar segurar a vítima, mas não consegue ‘se firmar'. Imagens gravadas por populares registram a tentativa do bombeiro de resgatar o homem e também o momento em que ele cai na grama.Bombeiros apuram resgate a homem que tentava se jogar de pontilhão

Duas viaturas do Corpo de Bombeiros e uma do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) estavam no local, além de uma equipe da Polícia Militar, que fazia o isolamento do trânsito na rua. A vítima foi socorrida imediatamente e levada para a Santa Casa de Campo Grande com traumatismo craniano. Ela segue internada em estado grave na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do hospital.

A tentativa de resgate será apurada pelo Corpo de Bombeiros. Ainda conforme a assessoria da corporação, em casos que ‘fogem da rotina', uma sindicância é aberta para investigar e dar devolutiva da ação dos militares a sociedade. Na tentativa de resgate, a maneira usada no resgate e as circunstâncias serão investigadas.

Suicídio, precisamos falar sobre isso

Horas antes da tentativa de resgate, a equipe do Jornal Midiamax foi surpreendida por um telefonema. Do outro lado da linha um homem pedia por socorro, afirmava que iria se matar. Ele conversou com um dos jornalistas na redação, enquanto o resto da equipe pedia acionava o socorro. O Corpo de Bombeiros também foi chamado e o rapaz encontrado, pouco depois.

Não há informação se a vítima que ligou para o jornal, e também outros órgãos de imprensa da Capital, é o mesmo que se feriu na noite do mesmo dia. Mas mais uma vez o assunto coloca em pauta o suicido.

Quadros depressivos são a principal causa identificada entre pessoas que se matam, como explica o psiquiatra Juberti Antônio de Souza, em entrevista ao Midiamax em maio deste ano. “A pessoa sofre tanto que tenta de todas as formas sair da situação de sofrimento e se pergunta se vale à pena continuar a viver”.

“Se a pessoa fica deprimida e desanimada, deixar de ter gosto pela vida, tem dificuldade em realizar as atividades que habitualmente realizava, devem ser acompanhadas com atenção. Por outro lado, pessoas que de repente começam a fechar os negócios, pagar dívidas, se reaproximar de familiares ou desafetos, como se estivesse fazendo um testamento, podem estar preparando sua morte, se despedindo da vida. Querem sair da vida sem deixar problemas”, alertou o psiquiatra.

Em setembro de 2016, durante a campanha Setembro Amarelo (campanha mundial pela ), o coordenador de divulgação do GAV (Grupo Amor Vida), antes conhecido por CVV (Centro de Valorização da Vida), Roberto Sinai, alertou que sinais em pessoas que se mataram são muito claros. “Mais de 90% dos suicídios poderiam ser evitados se as famílias percebessem antecipadamente os sinais”.

O  CVV funciona como um canal de prevenção ao suicídio. Por telefone, pelo número 141, e-mail ou Skype, e até pessoalmente, o voluntário conversa e tenta animar a pessoa, que não precisa se identificar, a encarar os fatos que lhe desafiam.