Polícia

Suspeito de esfaquear idosa na Capital se apresenta e alega que agiu em legítima defesa

Vítima está internada em estado grave

Gerciane Alves Publicado em 22/06/2016, às 21h18

None
apresentacao.jpg

Vítima está internada em estado grave

Douglas Plaza da Silva, de 22 anos, se apresentou na tarde desta quarta-feira (22) na 5ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande. Ele é suspeito de esfaquear Maria de Lurdes Boni, de 62 anos, na noite do último sábado (19) no bar 20V na estrada da Gameleira, em Campo Grande. Na companhia de seu advogado ele alegou que agiu em legítima defesa e foi liberado após esclarecimentos.

Em depoimento Douglas disse que mora em uma chácara próxima ao bar de Maria de Lurdes e no sábado foi convidado por seu patrão Alex para ir até o estabelecimento. O filho de Lurdes, Vagner Luciano Boni, que também estava na chácara, foi com os dois. No bar o trio teria sido recebido por Maria de forma agressiva, já que ela desconfiava que o filho mantinha um relacionamento homoafetivo com Alex.

“Seu travesti”, gritava a idosa para seu filho, segundo Douglas e também agredia Alex dizendo que estava desconfiada das visitas do filho à chácara. Cessadas momentaneamente as agressões a idosa teria dito que o filho lhe deu uma garrafada na cabeça, fato não constatado por Alex que pediu para ver se havia ferimento em sua cabeça.

Segundo o delegado João Reis Belo, Douglas teria dito nesse momento para a idosa que ela estava mentindo e a afirmação despertou a fúria de Maria que teria dado um tapa no rosto de Douglas e partido para cima dele com uma faca. Douglas destaca que tirou a faca da mão da idosa e desferiu seis golpes contra ela. Ao ver a mãe ferida, Vagner teria atirado com uma espingarda contra Douglas, que fugiu.

O advogado de defesa de Douglas, Caio Magno Duncan alega que o jovem agiu em legítima defesa. Douglas por sua vez destocou para a imprensa que só foi ao bar porque foi convidado pelo patrão. “Eu nem sei direito o que aconteceu, eu só me defendi. Eu só fui no bar porque meu patrão me chamou”, diz Douglas.

À polícia ele disse ainda que ele e a família estão sendo ameaçados por conta do crime. Ele foi ouvido e liberado em seguida. De acordo com o delegado, serão coletados ainda os depoimentos de Vagner e Alex.

Maria de Lurdes está internada no CTI (Centro de Terapia Intensiva) do Hospital Regional em estado grave.

Filho preso

Vagner procurou a polícia para registrar a crime contra a mãe apenas na manhã de domingo (20). Na segunda-feira durante buscas no estabelecimento pela faca usada, a polícia acabou encontrando várias armas. Vagner foi preso por porte ilegal de arma de fogo, mas foi liberado na manhã desta terça-feira (22) depois de passar por audiência de custódia.

Jornal Midiamax