Polícia

Suspeito de arrastar homem durante briga de trânsito se apresenta à polícia

Autor declarou que fugiu por medo

Gerciane Alves Publicado em 18/03/2016, às 22h43

None
arrastado.jpg

Autor declarou que fugiu por medo

O motorista suspeito de arrastar o representante comercial Décio Azevedo Nascimento, na noite do último sábado (12) se apresentou a na tarde desta quinta-feira (17) na 3ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande. O suspeito, de 32 anos, que não teve o nome revelado disse que fugiu por medo.

Segundo informações do delegado titular da 3ª DP, Fabiano Nagata durante o depoimento, que durou cerca de uma hora, o suspeito contou que não teve a intenção de arrastar Décio e que só arrancou com o carro porque a vítima estava muito exaltada e ficou com medo do que ele poderia fazer.

“Quando ele parou no sinaleiro a vítima desceu foi na janela do carro dele e começou a gritar e mandar ele sair do carro, segurando o carro dele. Ele ficou com medo e saiu, mas na hora que ele saiu a vítima segurou a porta do carro, perto da janela e acabou sendo arrastada. Ele correu porque a vítima estava alterada”, conta o delegado.

Diferente do que foi relatado pelo representante comercial, o delegado explica que o autor destacou que Décio não ficou preso na porta do veículo, mas foi arrastado porque ficou agarrado a ela. Ainda segundo o delgado, o suspeito foi ouvido e liberado em seguida, mas segundo delegado a pena dependerá do resultado do laudo do exame de corpo de delito.

Se o laudo apontar lesões leves será caracterizado crime do juizado especial criminal, a pena será abaixo de dois anos e o autor responderá por evasão do local e lesão corporal. Mas se for constatado lesões graves, o inquérito policial poderá ser alterado e pena será maior.

O caso

Um representante comercial de 42 anos de idade sofreu ferimentos generalizados, ao tentar conter um motorista que havia acabado de bater em seu carro, provocando danos materiais. O acidente aconteceu dia 12 por volta das 23h na Via Park, pouco depois da rotatória da Avenida Mato Grosso. De acordo com relato da vítima, ele havia saído do shopping e dirigia-se para casa, na Mata do Jacinto em uma caminhonete S-10.

Em determinado momento foi surpreendido por um Honda Civic cinza, que ao tentar a ultrapassagem acabou batendo na lateral de sua caminhonete. Como o motorista do Civic não parou, foi iniciada uma perseguição. Nas proximidades do Clube Estoril, a passagem do Civic foi bloqueada sendo iniciada uma discussão. Como não houve acordo, o representante comercial tentou tirar a chave da ignição do outro carro, quando este arrancou.

Sem tempo para retirar a mão, o homem foi arrastado por cerca de 100 metros até que conseguiu se soltar e caiu no asfalto, sofrendo um corte na cabeça.Ele foi atendido por uma viatura do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e levado para a Santa Casa e devido aos ferimentos. Décio deixou a Santa Casa às 8 horas do dia 13 e toma medicamento para evitar dor.

Jornal Midiamax