Polícia

Reinaldo coloca polícias em alerta e diz que novas rebeliões podem ocorrer em MS

Onda violência decorre de disputa entre facções por comando de presídios

Ludyney Moura Publicado em 05/08/2016, às 15h46

None
93f67885-ea1d-4457-8f45-0788af0bad0a.jpg

Onda violência decorre de disputa entre facções por comando de presídios

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) revelou que deixou as forças de segurança pública do Estado em alerta, depois que o governo obteve informações de que novas rebeliões podem acontecer nos presídios de Mato Grosso do Sul.

“Há um acirramento dentro dos presídios por domínio”, pontuou o governador durante a inauguração do Fórum de Terenos, na manhã desta sexta-feira (5). O confronto citado por Reinaldo é entre o PCC (Primeiro Comando da Capital) e o Comando Vermelho.

Na rebelião que eclodiu ontem, quinta-feira (4), em Naviraí, município distante 359 km da Capital, e só foi controlada na manhã de hoje, dois presos foram mortos, um deles decapitado.

Reinaldo lamentou as mortes e afirmou que o sistema penitenciário é caótico em todo o país. O tucano deixou claro que ordenou que policiais sul-mato-grossenses estão em alerta para atender ‘qualquer ocorrência, em qualquer unidade do Estado’.

A rebelião na penitenciária de Naviraí só foi contida depois que o BPChoque (Batalhão de Choque da Polícia Militar) chegou ao local, por volta das 6h da manhã desta sexta-feira. “Entramos, contivemos a rebelião, os presos foram isolados’, explicou o tenente-coronel Marcos Paulo Gimenez, comandante do BPChoque.

A direção da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) revelou que precisou transferir cerca de 50 detentos para outras unidades prisionais do Estado, e que manterá os destinos em sigilo por questões de segurança. 

Jornal Midiamax