Apreensões foram feitas em produtos em transporte e comércio

Um balanço divulgado nesta sexta-feira (13), apontou que aproximadamente quatro toneladas de mercadorias de origem animal, vegetal e perecíveis em geral foram destruídas após serem apreendidas pelos órgãos de vigilância do Estado. Os alimentos possuíam irregularidades como expiração do prazo de validade, más condições de armazenamento, ausência de selo de inspeção. 

Outros produtos apreendidos que apresentavam irregularidades, mas que estavam corretamente armazenados e em condições próprias de consumo, foram doados à instituições de caridade indicadas pela vigilância sanitária municipal. Os autuados pelas irregularidades podem sofrer pena de 2 a 5 anos de prisão, por crime contra as relações de consumo.

Os alimentos destruídos foram apreendidos em fiscalizações em veículos em trânsito e estabelecimentos comerciais nos municípios de Angélica, Novo Horizonte do Sul, Taquarussu e Três Lagoas, em uma ação conjunta da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), do Ministério da Agricultura e Abastecimento, da Vigilância Sanitária Estadual e da DECON (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo). 

(Com supervisão Thatiana Melo)