Três irmãos e um farmacêuticos foram detidos 

A Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira (20) três irmãos e um farmacêutico pela venda de vacinas contrabandeadas contra a Influenza A (H1N1 e H2N3), em Naviraí, a 358 quilômetros de Campo Grande. O medicamento seria da cidade paraguaia de Salto Del Guairá, que fica a 130 quilômetros da cidade.

De acordo com o Portal do MS, a venda das vacinas vindas do Paraguai foi intensificada nos últimos dias no município após a confirmação de vários casos do vírus no município. A operação foi realizada em uma residência da Rua Alcides Alves Corrêa, no centro da cidade. No local, os policiais encontraram uma quantidade de vacinas e uma pistola 9mm de uso restrito.

A casa pertencia aos irmãos Ramud Salem, Salem Salem e Rajaa Salem, que foram detidos juntamente com um farmacêutico, que não teve o nome relevado. Os quatro suspeitos foram encaminhados para a sede da Polícia Federal de Naviraí.

Ainda segundo o site, as vacinas trazidas do país vizinho podem se tornar invalidas se não foram transportadas adequadamente, causando riscos para a saúde. No município quatro pessoas morreram em virtude ao vírus. O ministério da saúde encerrou nesta sexta-feira a vacinação para as pessoas na faixa de risco na cidade, que tinha a meta de vacinar 9 mil pessoas.

Outros casos

A Polícia Civil e o Ministério Público de Bela Vista encontraram nesta sexta-feira (20) doses de vacina contra a Influenza A (H1N1 e H2N3), desviadas do SUS, sendo vendidas em farmácias da cidade, que fica a 320 quilômetros de Campo Grande. Um homem que mora em Antônio João foi preso em flagrante suspeito de vender as doses para os farmacêuticos.

Com 20 mortes já registradas no Estado e falta de vacinas na rede estadual, muitas pessoas correram as farmácias para garantir a imunização. De acordo com o último boletim epidemeológico da SES (Secretária Estadual de Saúde), publicado na quarta-feira (18), já há mortes em: Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Caarapó, Coxim, Juti, Naviraí, São Gabriel, Maracaju e Três Lagoas.