Polícia

Morto após roubar mototaxista e atirar em policiais já tinha passagens

Ele já havia sido indiciado por furtos

Renata Portela Publicado em 28/01/2016, às 13h07

None
img-20160128-wa0007.jpg

Ele já havia sido indiciado por furtos

Yan Alisson de Lima Vargas, de 21 anos, morto após trocar tiros com policiais do Batalhão de Choque no Estrela Dalva, região norte da Capital, tinha passagens pela polícia. Ainda neste mês de janeiro, o jovem cometeu dois furtos, nos dias 15 e 16.

Segundo a polícia, Yan foi encaminhado para a delegacia duas vezes, nos dias 15 e 16, após cometer furtos em Campo Grande. O rapaz morreu na tarde de quarta-feira (27), após cometer roubo a um mototaxista e atirar em policiais do Batalhão de Choque, que teriam revidado e atingido Yan, que foi socorrido, mas não resistiu.

Inquérito policial

Segundo o major Marcos Poletti, comandante em exercício do Batalhão de Choque, em casos onde ocorre confronto entre suspeitos e policiais e há morte, é instaurado o IPM (Inquérito Policial Militar). A partir do inquérito, é feita apuração do caso e, após concluído, é enviado ao Ministério Público.

Também de acordo com o major Poletti, cabe ao Ministério Público avaliar se houve razão na ação dos policiais. Caso a resposta seja positiva, o processo é arquivado, mas se não for, o Ministério Público segue com as investigações para responsabilizar os policiais.

Roubo e morte

Segundo a Polícia Civil, o mototaxista teria recebido ligação para realizar uma corrida na Rua Uraça, no Jardim Columbia. Ao se deslocar para o local juntamente com outro colega, os dois mototaxistas foram abordados por dois homens, que solicitaram corrida até o Bairro Estrela Dalva.

Ao chegar ao local pedido, na hora de pagar a corrida, os dois homens não teriam concordado com o valor da corrida e um dos homens, que seria alto, magro, moreno e de rosto fino sacou um revólver e ordenou que o mototaxista entregasse sua pochete.

Depois do roubo, os dois assaltantes ordenaram que as vítimas fossem embora do local e, para intimidarem os mototaxistas, o rapaz que portava o revólver fez dois disparos para o alto. A polícia foi acionada e informada que um dos suspeitos teria entrado em um matagal, que fica atrás do Comando Militar.

Os policiais do Batalhão do Choque entraram no matagal atrás do autor Yan Alisson de Lima Vargas, e depois de duas horas foi localizado. Ao avistar os policiais, Yan teria disparo em direção aos policiais que efetuou disparos contra o autor que acabou alvejado.

Yan foi socorrido e levado para a Santa Casa de Campo Grande, mas não resistiu e morreu. O outro assaltante não foi localizado.

Jornal Midiamax