Polícia

Médico, pintor e criadores são multados por manterem pássaros em cativeiro

Em Chapadão do Sul

Diego Alves Publicado em 22/06/2016, às 23h38

None
c68a92b9-7de4-443d-ae0e-2a0942b97e1e.jpg

Em Chapadão do Sul

Policiais Militares Ambientais de Costa Rica, cidade a 371 quilômetros de Campo Grande, realizaram uma operação de fiscalização no município de Chapadão do Sul e autuaram seis criadores por infrações ambientais.

A operação que ocorreu desde o dia 18 do mês passado encerrou-se nesta quarta-feira (22). Foram feitas vistorias  em 11 criadouros de pássaros autorizados pelo órgão ambiental, Também foram apreendidos 15 pássaros e 15 gaiolas.

O primeiro fiscalizado, um pintor de 29 anos, não mantinha o plantel atualizado no sistema online (SisPass) do órgão ambiental e não informou movimentação de três aves que não estavam no local. Ele foi autuado administrativamente e multado em R$ 1 mil.

Outro criador autuado foi um médico, de 68 anos. Ele foi multado em R$11 mil porque mantinha entre os passeriformes de seu plantel um curió e uma ave da espécie tempera-viola de outro criador, além de outros curiós sem anilhas, ou seja, sem origem.

Como agravante, os policiais perceberam que um pássaro tempera-viola teve um dedo quebrado para ser realizado o anilhamento, o que indica que o passeriforme foi anilhado fora de época, ou mesmo, fora capturado na natureza e anilhado irregularmente.

Um terceiro infrator, de 33 anos, foi multado em R$3 mil por deixar de atualizar os seus dados e do seu plantel por meio do SisPass, e também por realizar o cruzamento ou manipulação genética para criação de híbridos interespecíficos. Ele havia cruzado um Canário-da-terra com um Canário-belga, e estava no momento da vistoria realizando o pareamento do hibrido, com outro um Canário-da-terra.

O quarto criador, de 31 anos, foi autuado administrativamente e multado em R$ 1 mil por usar a autorização do IBAMA em desacordo com o especificado. Um de seus passeriformes, segundo o próprio criador, havia fugido e ele não informou a ocorrência junto ao sistema.

O quinto criador, de 35 anos, não possuía nenhum dos passeriformes relacionados em seu plantel. Segundo o infrator, os três pássaros que possuía fugiram e ele não registrou ocorrência, tampouco informou o sistema sobre o evento. O criador foi multado em R$ 3.000.00.

O sexto criador tinha em cativeiro sete passeriformes da espécie Canário-da-terra, todos irregulares, pois nenhum tinha anilha e o único pássaro cadastrado no sistema do IBAMA não estava na residência. O infrator afirmou que havia doado as aves para outro criador. Ele foi multado em R$6.500,00.

Todos os infratores responderão por crime ambiental. Se condenados, poderão pegar pena de seis meses a um ano de detenção. Os pássaros serão encaminhados ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), na Capital.

Jornal Midiamax