Polícia

Isqueiro que pode ter causado morte de crianças foi encontrado ao lado de corpo de menino

A polícia aguarda os laudos

Midiamax Publicado em 05/09/2016, às 22h24

None
img-20160905-wa0009.jpg

A polícia aguarda os laudos

O isqueiro encontrado ao lado do corpo de menino de 3 anos, que morreu em um incêndio em casa na noite do dia 28 de agosto, no Bairro Campo Verde, segue sendo a principal pista da polícia para o início do fogo. O garotinho e o irmão, um bebê de apenas 7 meses, ficaram presos na residência e morreram no local.

Conforme a polícia, o objeto foi apreendido no mesmo quarto em que as crianças estavam e ao lado do corpo do menino de 3 anos. O isqueiro foi encaminhado para a perícia e o delegado responsável pelo caso, Weber Luciano de Medeiros, titular da 2ª Delegacia de Polícia Civil, espera os laudo para confirmar a causa do incêndio.

Familiares da criança chegaram a relatar que o menino gostava de fogo e, sempre que via, queria brincar.

No cômodo em que os irmãos havia vários materiais inflamáveis como plásticos, espuma, colchões e até um fogão e botijões de gás e por isso a polícia também investiga os pais dos meninos por negligência.

O incêndio

O fogo começou na noite de domingo (28) e apenas as crianças estavam dentro da residência. Assim que os pais notaram o incêndio, as chamas já estavam altas. Eles tentavam controlar o fogo e, no desespero de salvarem os filhos, queriam entrar na casa, mas foram contidos pelos bombeiros, que chegaram em seguida.

Apesar dos esforços de vizinhos e Corpo de Bombeiros, as crianças não foram socorridas com vida. A bisavó dos meninos ainda lembrou ter ouvido três explosões, que ela imagina terem sido de dois botijões e também do gás da geladeira, mas os laudos não apontaram a explosão dos materiais.

Os pais das crianças chegaram a serem levados para a UPA e só depois ficaram sabendo da morte dos filhos. Perícia esteve no local e deve encaminhar laudo para a Polícia Civil, que investigará o caso e o que pode ter dado início ao incêndio.

Jornal Midiamax