Polícia

Secretaria promete acompanhar caso de guarda municipal que matou no bar

Guarda se calou sobre triagem para entrar na corporação

Wendy Tonhati Publicado em 02/10/2015, às 15h04

None
unnamed_359.jpg

Guarda se calou sobre triagem para entrar na corporação

A Prefeitura de Campo Grande se manifestou na manhã desta sexta-feira (2), por meio de nota, sobre o  envolvimento de dois guardas civis municipais em uma briga de bar, que terminou com a morte de Felipe Cardoso da Silva, de 23 anos. Segundo informações policiais, o jovem não estava envolvido na briga e levou um tiro disparado por um dos guardas. O outro servidor é apontado como dono da pistola utilizada no crime. 

Em relação aos fatos ocorridos envolvendo Guardas Civis Municipais, a Secretaria Municipal de Segurança Pública esclarece que acompanha a ocorrência de perto, colaborando com a Polícia Civil para o esclarecimento do mesmo. As informações estão sendo apuradas e caso haja comprovação de crime, todos os envolvidos serão punidos conforme a lei, dando amplo direito de defesa, mas agindo com o rigor necessário”, diz a nota. 

Mais cedo, o Jornal Midiamax encaminhou um e-mail para GCM (Guarda Civil Municipal) pedindo informações sobre o caso e com relação ao tipo de triagem que é feita pela GCM quando o candidato passa no concurso e é convocado para assumir a vaga. 

O e-mail foi encaminhado às 8h51 com as perguntas abaixo, que são de interesse público e servem de esclarecimento à população, mas não obteve retorno até o fechamento deste texto. O responsável por responder a mensagem não foi mais localizado pela reportagem. 

Qual o nome do guarda envolvido na briga?  Há quanto tempo ele está na Guarda Civil Municipal? Como é feita triagem dos profissionais da Guarda Civil Municipal? O guarda envolvido na briga passou por investigação social e avaliação psicológica? Quem quem assinou os laudos? É comum guardas carregarem armas mesmo sem porte de arma? Há alguma fiscalização para que isso seja evitado? Qual o nome do guarda que emprestou a arma? Há quanto tempo ele está na Guarda Civil municipal? Quais providências e punições serão aplicadas aos guardas municipais envolvidos no caso? Qual o posicionamento da Guarda sobre o fato?  Essa atitudes prejudicam a imagem da Guarda Civil Municipal?

Crime

Segundo a polícia, por volta das 22h40 de quinta-feira (1º), um guarda civil municipal identificado apenas como Fábio e conhecido como Caveirinha, que comemorava aniversário, passou na Base da GCM (Guarda Civil Municipal), que fica localizada na Avenida Ernesto Geisel, e chamou um colega de trabalho para ir com ele até o bar comprar bebidas para a comemoração.

Ao chegar ao local, encontrou um homem com quem tinha uma desavença. Ele entrou no estabelecimento comercial e teve início uma briga generalizada. Após a confusão, Fábio voltou para a Base da GCM e convenceu o outro agente, identificado apenas como E.P.S., 32 anos, a ir ao bar para ‘dar um susto nas pessoas’. O outro guarda estava com uma pistola e emprestou a arma para Fábio.

Fábio chegou ao bar e atirou em Felipe, que não tinha nada a ver com a confusão. E.P.S voltou para a base da guarda e Fábio fugiu. O guarda que estava de serviço foi preso em flagrante por ter emprestado a arma. Fábio está foragido e o caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da Vila Piratininga.

Jornal Midiamax