Polícia

Pai monitora suposto assédio a filha adolescente e caso vai parar na polícia

Jovem de 12 anos estaria sendo assediada via WhatsApp

Midiamax Publicado em 09/01/2015, às 14h50

None
img-20150109-wa0089.jpg

Jovem de 12 anos estaria sendo assediada via WhatsApp

Um mecânico, identificado apenas como N.A.M., de 22 anos, foi denunciado por uma adolescente de 12 anos por assédio e ameaças. O caso foi parar na Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) e o suspeito foi chamado para prestar esclarecimentos, mas não ficou preso.

A jovem relatou que foi surpreendida com mensagens via WhatsApp feitas pelo mecânico. Ele pedia por fotos dela e começou a falar que estava interessado na jovem.

Recebendo respostas negativas, o suspeito teria começado a ameaçar os pais da jovem de morte e, até mesmo, a dizer que sabia onde ela morava. Ele teria feito ameaças, caso ela não mandasse fotos provocantes a ele.

A adolescente acabou enviando algumas imagens ao rapaz, que começou a querer marcar encontros com a jovem. Consta que ele começou a rondar a casa dela e ameaçar a espalhar as imagens na internet e redes sociais caso ela não concordasse com o encontro.

Com medo, a garota contou para a mãe o que estava acontecendo e a genitora informou o pai. Orientado pelo tutor, ela começou a se comunicar com o mecânico e pegar informações como nome do suspeito, com quem ele conseguiu o contato dela e onde mora, para marcar o encontro na casa dele.

O suspeito disse que pegou com um colega e passou todas as informações. Além disso, deu prazo pra ela antes de jogar as imagens na internet – ocasião que o pai da jovem a acompanhou até a delegacia para fazer a denúncia.

O pai da adolescente descobriu que o suspeito já havia sido denunciado em 2013 por estuprar outra jovem de 13 anos. Ele esteve na delegacia acompanhada da tia de criação, que ficou surpresa. “Achei que o fato anterior foi um caso isolado. Agora vamos ver o que acontece”, disse a mulher, que preferiu não se identificar.

Jornal Midiamax