Ações ocorreram em Mato Grosso do Sul e no Paraná

No primeiro dia da Operação Ágata 9 foram apreendidos 3,4 mil quilos de maconha e 1.680 maços de cigarro. As ações ocorreram em Mato Grosso do Sul e no Paraná. A ação, que tem por objetivo o combate ao crime transfronteiriço, teve início na madrugada desta quarta-feira (22).

Participam das ações a Marinha do Brasil, o Núcleo de Polícia Marítima e a PF (Polícia Federal), que possibilitaram na apreensão de 2,1 toneladas de maconha na rodovia PR-495, entre os municípios de Missal e Medianeira, no Paraná. Um homem, que teve o nome preservado, foi preso em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas, receptação, uso de documento falso, adulteração de sinal identificador de veículo automotor e resistência.

Federais realizavam investigações no Lago de Itaipu quando identificaram uma movimentação suspeita de embarcações. Desde então, equipes de inspeção naval da Capitania Fluvial do Rio Paraná e o Núcleo Marítimo da Polícia Federal passaram a acompanhar a movimentação, que culminou com a apreensão da droga na rodovia estadual. As demais 1,3 toneladas foram encontradas em Nioaque.

O efetivo empregado era inicialmente de 4,2 mil pessoas, mas subiu para 5.310, envolvendo militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. Além disso, há a participação de 255 profissionais de agências federais e órgãos públicos estaduais e municipais.

As Forças Armadas, juntamente com o esforço interagências, realizam no dia de hoje centenas de ações entre reconhecimento fluvial, inspeções em embarcações, revistas de pessoas, patrulhas, check points em rodovias e revistas em aeródromos e aeroportos, transporte logístico aéreo, ações cívico-sociais, entre outras.

Nações amigas

O chefe do Coter (Comando de Operações Terrestre) do Exército, general Araken de Albuquerque, esteve nesta quarta-feira (22) em Campo Grande, acompanhando o início das atividades da Operação Ágata 9. O general foi recebido pelo comandante militar do oeste, general Paulo Humberto César de Oliveira, e pelo chefe do Centro de Operações, general Carlos Sérgio Camara Saú.

Durante a visita, o general Araken passou pelo Comando da Área de Operações Oeste, da Ágata 9, a Força Terrestre (Exército) Componente Pantanal e o Comando Logístico da Área de Operações. Na oportunidade, pode verificar o planejamento operacional e tático, além de acompanhar as atividades em curso.

No mesmo dia, uma comitiva de militares de nações amigas conheceu um pouco da operação. O grupo era composto por oficiais da Bolívia, do Paraguai, do Peru e de Portugal.

A nona edição da Operação Ágata, que tem por objetivo o combate ao crime transfronteiriço, teve início na madrugada desta quarta-feira. A atividade envolve cerca de 4,2 mil militares e conta com apoio de agentes governamentais, órgãos públicos federais, estaduais e municipais.

Logística

A Chefia de Logística do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas do MD (Ministério da Defesa) inaugurou na quarta-feira o Centro de Coordenação de Logística e Mobilização. O novo Centro irá dar apoio à Ágata 9, fora da área de Operações Oeste. O chefe de Logística do MD, brigadeiro Antonio Carlos Moretti Bermudez, ressaltou que o novo local é importante para o Plano Estratégico de Defesa.