Polícia

Menino de 13 anos afirma ter matado irmão no Jardim Nhanhá

Garoto alega defesa do pai

Evelin Cáceres Publicado em 28/04/2015, às 13h59

None
img-20150428-wa0061.jpg

Garoto alega defesa do pai

Um menino de 13 anos foi levado a 5ª DP (Delegacia de Polícia) na manhã desta terça-feira (28) pelo advogado e afirmou ao delegado João Reis Belo que matou seu irmão de criação na saída de uma boate no Jardim Nhanhá, no último dia 23 de abril.

Segundo o adolescente, foi ele quem disparou seis tiros em Rafael Nantes do Amaral, de 24 anos. O delegado disse que precisa investigar a confissão do menino, já que a história “não bate” com o apurado no local do crime.

“A história é confusa, pois no local disseram que um homem passou em uma moto e efetuou os disparos”, diz o delegado.

Segundo o adolescente, Rafael era usuário de drogas e sempre agredia seu pai. No dia do crime, a vítima teria chegado em casa sob efeito de drogas e começado a agredir o pai do adolescente.

Ele afirmou, segundo o depoimento, que acordou e tentou conter a agressão ao pai. Os dois estariam brigando na rua quando Rafael sacou a arma e o adolescente teria conseguido pegar o revólver calibre 38 das mãos dele.

“O menino diz que se levantou do chão já atirando e que atingiu o irmão”. Segundo o delegado, as investigações devem prosseguir mesmo com a confissão. “Ele se mostra convicto ao dizer que foi ele que matou, mas a história realmente não bate”, concluiu João Belo.

De acordo com relatos de testemunhas, Rafael teria saído de uma boate acompanhado de uma mulher e falando ao celular. Um homem em uma moto teria subido na calçada, atirado contra ele e ido embora. Na fuga, ele teria deixado cair um capacete após colidir em um veículo Saveiro. 

Jornal Midiamax