Polícia

Gaeco deflagra operação ‘Livro Negro’ para desarticular facção

A operação é resultado de 5 meses de investigação 

Renata Portela Publicado em 03/07/2015, às 15h09

None
gaeco-2-c.jpg

A operação é resultado de 5 meses de investigação 

Na manhã desta sexta-feira (3), o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), Polícia Militar e Agepen (Administração do Sistema Penitenciário), por meio da Gisp (Gerência de Inteligência), iniciaram a operação “Livro Negro”. A operação pretende desarticular organização criminosa atuante no sistema penitenciário estadual.

Os oficiais atuam em Campo Grande, Três Lagoas, Aquidauana, Brasilândia e Rio Verde de Mato Grosso. Serão cumpridos 7 mandados de busca e apreensão em residências, além de 9 vistorias em celas de presídios estaduais, ocupadas por integrantes da facção criminosa.

De acordo com publicação no site do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul, a operação é resultado de 5 meses de investigação e teve por objeto a apuração do crime de participação em organização criminosa, além de tráfico de drogas e associação, roubos e furtos, praticados por internos e egressos do sistema penitenciário.

Participam da operação três promotores de Justiça, 90 policiais militares do BPChoque (Batalhão da Polícia de Choque), do Bope (Batalhão de Operações Especiais), do Gaeco e de Unidades Policiais do interior do Estado, além de 7 servidores da Gisp/Agepen e os agentes penitenciários de plantão nas unidades prisionais do sistema Agepen.

A operação foi denominada “Livro Negro” em alusão aos integrantes que, por estarem em débito, foram punidos ou excluídos da organização criminosa.

Jornal Midiamax