Polícia

Dupla assalta lanchonete, é perseguida por polícia e suspeito acaba baleado

Sobre uma moto, eles roubaram uma corrente de ouro e R$ 1.000 

Midiamax Publicado em 25/04/2015, às 10h50

None
img-20150425-wa0003.jpg

Sobre uma moto, eles roubaram uma corrente de ouro e R$ 1.000 

Depois de assaltar uma lanchonete, localizada no cruzamento das Ruas Iguaçu e Brilhante, no Bairro Amambaí em Campo Grande, por volta das 5 horas desta sexta-feira (25), uma dupla de assaltantes acabou sendo perseguida e presa pela polícia. Além disso, um deles foi baleado durante a fuga.

Tudo teve início quando um casal de trabalhadores preparava salgados na lanchonete e foi abordado por dois rapazes, um deles portava uma arma na ação – posteriormente a polícia descobriu que era réplica de uma pistola Bereta. Os bandidos anunciaram o assalto e levaram uma corrente de ouro, uma bolsa com R$ 1.000 e um aparelho de celular.

Em seguida, ambos fugiram em uma moto vermelha e a polícia foi acionada. Pouco tempo depois, a 5ª Força Tática da PM (Polícia Militar) iniciou as rondas até que duas pessoas em uma moto vermelha e sem placa foram vistas próximo do Bairro Cabeça de Boi, na Rua Noroeste.

Foi aí que teve inicio uma perseguição, já que os suspeitos não respeitaram a ordem de parada. De acordo com a PM, a moto percorreu a contramão de várias ruas a fim de escapar.

Todavia, na esquina da Avenida Ernesto Geisel com a Rua João Rosa Pires, os policias os abordaram, mais uma vez, e dispararam contra a moto. Um dos tiros acertou no tornozelo do homem que estava na garupa e ambos acabaram presos.

Por fim, foi preso o condutor, Bruno Wesler da Silva, de 19 anos, e um adolescente de 17 que estava na garupa foi apreedido. Este último foi levado para a Santa Casa, em virtude do ferimento, mas não há gravidade no estado de saúde.

Os assaltantes, ainda, foram reconhecidos pelas vítimas da lanchonete. Após a identificação, a polícia constatou que ambos tinham passagem pela polícia por roubo. Já Bruno, tinha registro policial, também, por porte de arma e receptação.

O caso foi encaminhado para a Depac – Centro (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário).

Jornal Midiamax