Polícia

Após morte, funcionários percebem que detento foi levado sem escolta para UPA

Ele não estava acompanhado por falta de agentes

Midiamax Publicado em 24/02/2015, às 10h59

None
234139915.jpg

Ele não estava acompanhado por falta de agentes

O reeducando Rudnei Guedes do Carmo, de 38 anos, morreu no início da madrugada desta terça-feira (24), por causas ainda desconhecidas. O fato ocorreu na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Bairro Tiradentes, região leste de Campo Grande, e foi registrado pela Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro, como morte a esclarecer.

Após a constatação da morte do rapaz que estava internado na unidade foi que funcionários do local perceberam que ele era interno do IPCG (Instituto Penal de Campo Grande). Os servidores da UPA ligaram para a unidade prisional e foram informados por um agente penitenciário que o detento estava desacompanhado por falta de efetivo para se deslocar até lá para fazer a escolta.

Além disso, os agentes penitenciários informaram que Rudnei foi levado na manhã de segunda-feira (23) para a UPA pelo Corpo de Bombeiros, e que apenas ele foi transportado. Todo fato foi informado para a Polícia Civil. O corpo da vítima foi encaminhado para o Imol (Instituto de Medicina e de Odontologia Legal) para exame necroscópico.

Jornal Midiamax