Agetran intensifica blitz na área central e em bairros durante o Maio Amarelo

De segunda até a manhã desta sexta-feira já foram 1469 abordagens
| 22/05/2015
- 18:14
Agetran intensifica blitz na área central e em bairros durante o Maio Amarelo

De segunda até a manhã desta sexta-feira já foram 1469 abordagens

As atividades voltadas ao Movimento Maio Amarelo continuam na Capital. Após diversas campanhas educativas, a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) agora está focada na fiscalização que visam reduzir as estatísticas de acidentes. O reforço das fiscalizações iniciou nesta segunda-feira (18) e deve ocorrer durante todo o mês, com blitz em locais estratégicos para reverter os índices negativos.

Tanto as regiões como os horários de atuação dos agentes de trânsito foram definidos após análise técnica dos acidentes mais frequentes. Antes de qualquer blitz repressiva foram feitas diversas abordagens educativas, ao longo do ano. Mas, no momento, os agentes estão fazendo fiscalizações em diversos pontos de Campo Grande, tanto no centro como nos bairros distantes, entre eles, Rua Calógeras, Rua Antônio Maria Coelho, Avenida Fábio Zahran, Avenida Guinter Hans e Avenida Nelly Martins.

De segunda até a manhã desta sexta-feira (22), já foram 1469 abordagens e cerca de 80 agentes de trânsito empenhados na missão de coibir transgressões. Além disso, 20 carros, 34 motos e 2 caminhões foram levados ao pátio do Detran por irregularidades. Em relação às notificações por excesso de velocidade em uma das vias, 52% do total de condutores transitaram em velocidade superior a máxima permitida em mais de 20% até 50%. Além disso, 30% das pessoas notificadas foram flagradas trafegando acima de 20% da velocidade permitida e 18% dos condutores transitaram acima de 50%.

Nas blitzes, 217 veículos foram notificados, dentre as infrações mais frequentes, os agentes registraram 30 autuações por conduzir veículo sem os documentos de porte obrigatório, 42 pessoas foram notificadas por dirigirem sem possuir CNH (Carteira Nacional de Habilitação) ou PPD (Permissão Provisória para Dirigir) e 15 por permitir posse/condução do veiculo a pessoa sem CNH ou PPD.

 

Estatísticas

De janeiro até agora, já foram registrados 22 acidentes com mortes. Os motociclistas lideram a faixa de risco, com 15 óbitos. “As estatísticas revelam que em 80% dos acidentes, os motociclistas são uma das vítimas e os jovens na faixa etária dos 18 a 25 anos que mais engrossam esses índices. Nossa meta é diminuir os acidentes, portanto, o número de blitz irá aumentar na Capital. Temos que tirar de circulação os condutores e veículos irregulares”, explica a diretora-presidente da Agetran, Beth Felix.

Veja também

Com os três adolescentes foram recuperados os dois veículos subtraídos, vários objetos pessoais da vítima

Últimas notícias