Polícia

Comerciante é furtado pela 5ª vez, encontra suspeito com produtos, mas polícia não prende

Pela quinta vez, o comerciante Élio Rodrigues Frias teve a loja de roupas furtada no bairro Universitário, em Campo Grande. Segundo o comerciante, na madrugada deste sábado (8), um vizinho viu três pessoas furtando o estabelecimento e ligou para ele. O último furto havia acontecido há apenas 4 dias. Após os ladrões terem quebrado a […]

Arquivo Publicado em 08/03/2014, às 13h04

None
251700961.jpg

Pela quinta vez, o comerciante Élio Rodrigues Frias teve a loja de roupas furtada no bairro Universitário, em Campo Grande. Segundo o comerciante, na madrugada deste sábado (8), um vizinho viu três pessoas furtando o estabelecimento e ligou para ele. O último furto havia acontecido há apenas 4 dias.

Após os ladrões terem quebrado a vitrine no furto anterior, o comerciante consertou a grade da porta e colocou um tampão. Desta vez, os suspeitos utilizaram um galho com um gancho na ponta para furtar as mercadorias.

Depois de ser avisado do furto pelo vizinho, Frias foi com o filho e policiais militares à casa de um homem de 35 anos, suspeito do crime. No quintal da casa foram encontradas peças de roupas que haviam sido levadas da loja, mas mesmo assim, não foi suficiente para que o suspeito fosse preso. 

“O cara [suspeito] falou que encontrou as peças na rua, mas eu acho que é o mesmo dos furtos anteriores. Ele estava portando uma faca e mesmo assim a polícia não prendeu”, contou.

Conforme o comerciante, a PM relatou que já havia passado o tempo de flagrante. Um boletim de ocorrência foi registrado na Polícia Civil que vai investigar o caso. “Eu queria era que eles [ a polícia] fizesse ele [suspeito] falar  quem são as outras pessoas e o que eles fizeram com as outras mercadorias”, afirma.

O comerciante relata ainda que tem dias apólices de seguro, mas que está com dificuldades para receber o seguro. “Estamos com a intenção de fechar. E muito estresse”, finaliza. A expectativa de Frias é de que a polícia compare as impressões do homem apontado como suspeito com as que já foram colhidas pela perícia nos outros casos de furto.

Jornal Midiamax