Polícia

Polícia quer saber como agente fugiu com preso em viatura para ameaçar pessoas

De acordo com Cristiane de Araujo Rossi, delegada adjunta da 7ª Delegacia de Policia Civil da Capital, o policial que estava de plantão no ultimo sábado (02) e que liberou o preso Ryan Douglas Wehner Vieira, de 21 anos ,da cela também será investigado. O investigador Oswaldo Pereira Brito Junior, vai ser interrogado pela corregedoria […]

Arquivo Publicado em 04/11/2013, às 12h58

None
805127496.jpg

De acordo com Cristiane de Araujo Rossi, delegada adjunta da 7ª Delegacia de Policia Civil da Capital, o policial que estava de plantão no ultimo sábado (02) e que liberou o preso Ryan Douglas Wehner Vieira, de 21 anos ,da cela também será investigado. O investigador Oswaldo Pereira Brito Junior, vai ser interrogado pela corregedoria da Policia Civil para explicar como ele deixou o policial Carlos Peterson Fernandes, de 34 anos, sair com o preso e a viatura para ameaçar pessoas no bairro Aero Rancho.


A delegada afirma que a principal questão é como esse policial foi abordado por Carlos para deixar o preso sair com a viatura, sendo que ele não tinha autorização prévia do delegado. Ela também se diz surpresa com a atitude do policial.  Por que, segundo ela, nas diligências em que fez com Carlos, ele “nunca apresentou nenhum problema de comportamento”, garante. 


Outro que se diz surpreso com a atitude do investigador é o delegado Natanael Balduíno, ex-titular da 7ª Delegacia de Polícia da Capital. Segundo ele Carlos era “Prestativo, cumpria todas as atribuições solicitadas e nunca causou nenhum problema no serviço”.


O delegado que trabalhou durante sete anos com o investigador de policia  afirma que ele nunca apresentou nenhum tipo de problema durante o serviço. “A gente percebeu é que quando ele ingeria bebida alcoólica aconteciam esses casos. Em 2008 teve um caso parecido com esse, em que ele ingeriu bebida e afirma não se lembrar de nada”.


De acordo com o delegado a informação que a policia possui é que Carlos não estava de plantão no sábado. E que ele teria saído de sua casa, ido à delegacia, tirado Ryan Douglas da cela, pego a viatura, e começado a cometer os delitos.


Carlos está preso na 3ª Delegacia de Policia. Os delitos pelos quais ele foi detido não têm direito a fiança e por isso a questão de responder o processo em liberdade provisória depende do advogado dele.


De acordo com Pedro Paulo, advogado de Ryan Douglas no caso do Racha na Julio de Castilho, o homem estava detido na delegacia sem nenhum tipo de regalia ele não tem conhecimento de como o preso foi retirado da cela. “Eu não sei se eles se conheciam, se ele foi coagido”, afirma.


O Caso


Segundo a polícia civil, no final da tarde deste sábado (02), o policial civil Carlos Peterson Fernandes foi preso no Jardim Aero Rancho, em Campo Grande (MS), por policiais do GARRAS (Delegacia  Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros) e da Polícia Militar.


Após denúncias que ocupantes de um veículo Logan de cor preta ameaçavam pessoas a esmo na rua, inclusive apontando arma de fogo, os policiais já em posse da placa do veículo, constataram que se tratava de uma viatura da Polícia Civil e pertencente à 7ª Delegacia de Polícia da Capital.


Assim que a viatura da Polícia Militar foi avistada, o veículo empreendeu fuga e assim que foi alcançado soube-se que o passageiro era o investigador de polícia Carlos Peterson, lotado na 7ª DP. Na condução da viatura estava Ryan Douglas qual está preso e custodiado na 7ª DP desde de sua prisão em 31 de março deste ano, quando foi autuado em flagrante por homicídio doloso na direção de veículo automotor.


Ambos foram encaminhados à Depac Piratininga presos em flagrante. O policial foi preso e vai responder aos crimes de desobediência, ameaça, desacato, peculato e por entregar veículo a pessoa não habilitada.

Jornal Midiamax