Polícia

Polícia identifica e prende autor de atropelamento em Amambai

A Polícia Civil identificou e prendeu, no final da tarde dessa terça-feira (17), um rapaz de 23 anos, acusado de atropelar e matar uma mulher de 49 anos, em Amambai – a 342 km de Campo Grande. Maria Alves Ribeiro foi atropelada quando transitava a pé pela Rua da República, região central da cidade, na […]

Arquivo Publicado em 18/12/2013, às 11h46

None
115000351.jpg

A Polícia Civil identificou e prendeu, no final da tarde dessa terça-feira (17), um rapaz de 23 anos, acusado de atropelar e matar uma mulher de 49 anos, em Amambai – a 342 km de Campo Grande.


Maria Alves Ribeiro foi atropelada quando transitava a pé pela Rua da República, região central da cidade, na noite de domingo. Na ocasião o autor fugiu do local sem ser identificado.


De acordo com a Polícia Civil, após trabalho de investigação, os policiais chegaram até o veículo envolvido no atropelamento, um Fiat Uno, cor escura, placas HRJ-1453 de Amambai e consequentemente a seu condutor, o pedreiro Cleber de Souza Alves, 23 anos, morador na região da Vila Cassiano Marcelo, em Amambai.


Segundo a polícia, após provocar o atropelamento Cleber fugiu do local e escondeu o veículo na parte dos fundos de sua residência.


Com o impacto contra o corpo da vítima, o carro teve o para-brisa quebrado e a parte dianteira danificada, motivo pelo qual Cleber de Souza acabou cobrindo o carro com uma lona.


O condutor não era habilitado, discutia com a esposa e afirmou ter bebido.


Em entrevista Cleber de Souza afirmou não ter CNH (Carteira Nacional de Habilitação), ter bebido antes do acidente e também ter mantido uma discussão com a esposa, uma mulher de 28 anos, que estava com ele no carro na hora do atropelamento.


Cleber disse ainda que ele e a mulher tinham acabado de sair de uma festa de confraternização da empresa onde ela trabalha e um carro que se deslocava em sentido contrário com a luz alta teria tirado sua visão.


Em relação a omissão de socorro, o pedreiro disse que, apesar da esposa ter tentado intervir para que ele parasse e prestasse socorro, ele teria ficado bastante apavorado e decidido seguir em frente.


“Eu cheguei a parar, mas estava bastante assustado, então resolvi seguir em frente”, disse o motorista ao relatar que pretendia contratar um advogado e se apresentar nos próximos dias, mas a polícia acabou desvendando o ocorrido antes que isso acontecesse.


De acordo com a Polícia Civil, como não estava mais em situação de flagrante, Cleber de Souza Alves foi indiciado em inquérito e seria liberado para responder ao processo em liberdade.


Segundo a polícia, ele deve responder por “homicídio culposo”, aquele em que a pessoa mata sem a intenção de matar, por omissão de socorro e por conduzir veículo automotor sem estar devidamente habilitado.


Em relação ao fato de o acusado afirmar ter bebido antes de dirigir, o que é considerado crime pela legislação brasileira, seu indiciamento fica prejudicado devido à falta de prova técnica, segundo a polícia.

Jornal Midiamax