Polícia

Incêndio em boate no RS deixa pelo menos 180 mortos, diz polícia

O incidente, que começou por volta das 2h30, ocorreu na Boate Kiss, na rua dos Andradas, no centro da cidade de Santa Maria.

Arquivo Publicado em 27/01/2013, às 11h57

None
431570912.jpg

O incidente, que começou por volta das 2h30, ocorreu na Boate Kiss, na rua dos Andradas, no centro da cidade de Santa Maria.

Um incêndio de grandes proporções em uma casa noturna deixou até o momento 180 mortos em Santa Maria (RS) na madrugada deste domingo (27), segundo Brigada Militar em entrevista coletiva. A estimativa é que outras 200 ficaram feridas. O incidente, que começou por volta das 2h30, ocorreu na Boate Kiss, na rua dos Andradas, no centro da cidade de Santa Maria.


De acordo com o tenente-coronel da Brigada Militar e vereador da cidade, João Vargas, o número pode chegar a 200. “As pessoas erraram a porta de saída, que fica ao lado do banheiro. Quase a totalidade morreu por asfixia. No desespero para sair, as pessoas foram encontradas no banheiro empilhadas, quase o teto”, contou em entrevista à Rádio Gaúcha.


 De acordo com um segurança que trabalhava no local no momento do incêndio, muita gente foi pisoteada. “Na hora que o fogo começou foi um desepero para tentar sair pela única porta de entrada e saída da boate e muita gente foi pisoteada. Todos quiseram sair ao mesmo tempo e muita gente morreu tentando sair”, contou.


Todo o efetivo do Corpo de Bombeiros e da Brigada Militar está envolvido no atendimento, além de equipes da região e também da Polícia Civil, Polícia Rodoviária Estadual, da Base Aérea, da Superintência dos Serviços Penitenciários (Susepe) e voluntários. A assessoria do governador do Estado, Tarso Genro, informou que ele irá chegar ao município às 11h30.


O governador se manifestou em seu Twitter na manhã deste domingo. “Domingo triste. Estamos tomando as medidas cabíveis e possíveis. Estarei em Santa Maria no final da manhã”, publicou. Em seguida, Tarso Genro divulgou uma mensagem de áudio sobre a tragédia.


“Recebemos hoje pela manhã essa notícia gravíssima que enluta o Rio Grande do Sul e a cidade. Estou indo em seguido para acompanhar o trabalho e para compartilhar o luto da cidade que é de todo o Estado e todo o País”, disse.


Os corpos das vítimas estão sendo retirados em um caminhão da Brigada Militar e levados para um ginásio da região central onde será feito o reconhecimento. Uma força-tarefa do Instituto-Geral de Perícias foi montada para acelerar os trabalhos de identificação, além da investigação sobre as causas da tragédia. “Temos que agir rapidamente para amenizar as conseqüências”, declarou Michels.


Segundo a Secretaria da Segurança Pública do Estado, toda a estrutura do órgão foi colocada à disposição para os trabalhos de apoio às vítimas. Ainda de madrugada, o secretário Airton Michels determinou que todas as aeronaves das polícias ficassem à disposição para o transporte de feridos.


Sinalizador


De acordo com o coronel-comandante do Corpo de Bombeiros em entrevista à Rádio Gaúcha, Guido Pedroso de Melo, o fogo teria iniciado com um sinalizador. “A informação que colhemos no local foi que o que gerou o incêndio é que alguém da banda que estava animando a festa acendeu um sinalizador e acabou pegando na forração (no teto) com base de isopor”, informou.


Segundo o coronel, muitas pessoas desmaiaram por causa da fumaça tóxica expelida pelo material queimado.

Jornal Midiamax