Polícia

Por unanimidade, policiais militares acabam de rejeitar proposta salarial do governo

Os militares que estão em assembleia geral para discutir a proposta do governo contam com apoio da Polícia Civil e de comerciantes

Arquivo Publicado em 20/04/2012, às 18h10

None

Os militares que estão em assembleia geral para discutir a proposta do governo contam com apoio da Polícia Civil e de comerciantes

Em coro, os cerca de mil policiais militares que ocupam o auditório da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação do Mato Grosso do Sul) acabaram de rejeitar a proposta do governador André Puccinelli (PMDB) sobre negociação salarial.


Os militares que estão em assembleia geral para discutir a proposta do governo contam com apoio da Polícia Civil e de comerciantes.


A última proposta do governador, foi feita na noite de segunda-feira (16), Puccinelli teria oferecido aumento de 6% para todas as patentes policiais e 10,23% para os soldados – o que representa uma diferença de R$ 87 no salário.


O presidente do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis), Alexandre Barbosa da Silva, disse que todos estão no mesmo barco, no mesmo caminho, e por isso é preciso união. “Até ontem (19), o Estado nunca tinha visto a Polícia Civil se mobilizar tanto. Noventa e cinco por cento das delegacias estavam paradas, mostrando ao Governo do Estado que não temos medo de cara feia. Estamos juntos nessa e em breve estaremos mais próximos ainda”, apontou.


Já Adelaido Luis Vila, presidente do Conselho Comunitários de Segurança da Região Central de CG, disse que esteve nesta manhã conversando com aproximadamente mil comerciantes do centro e todos disseram apoiar a polícia, tanto civil como militar.


Segundo ele, o conselho e os comerciantes estão organizando uma grande manifestação para reivindicar melhores condições de trabalho e sobrevivência.


“É essa massa (apontando para a polícia) que faz o trabalho grosseiro da bandidagem. Por isso, merece melhoria nos salários. De soldados a oficiais”, apontou.

Jornal Midiamax