Polícia

Polícia cobra fiscalização da instalação de biombos nos caixas dentro dos bancos

Agências bancárias descumprem lei municipal e contribuem para o aumento de crimes chamado de ‘saidinha de banco’, avalia delegado

Arquivo Publicado em 23/11/2012, às 10h40

None
393168306.jpg

Agências bancárias descumprem lei municipal e contribuem para o aumento de crimes chamado de ‘saidinha de banco’, avalia delegado

Mesmo com a existência de uma lei municipal que obriga a instalação de biombos e tapumes nos caixas de instituições bancárias para que clientes não vejam movimentações financeiras, muitas agências ainda descumprem a norma em Campo Grande. A polícia acredita que a facilidade que os bandidos encontram é o principal motivo para os assaltos.

A reportagem do Midiamax visitou agências bancárias da Capital onde foi possível verificar a falta destes itens.

O delegado Pedro Camargo, da DERF – Delegacia de Roubos e Furtos destaca que a falta do cumprimento da lei facilita com que seja possível verificar correntistas que realizam grandes saques. “Percebemos que esses crimes de saidinha de banco só ocorrem onde não há biombos ou tapumes. Então, a Polícia Civil vai oficiar a Semadur que é responsável pela fiscalização nas agências para que exija o cumprimento da lei”.

Para Camargo, houve uma grande redução neste tipo de crime em comparação com o ano passado, porém nos últimos meses, tem-se verificado uma nova onda da modalidade. “Chega a ter um assalto deste tipo por semana, quatro por mês. Contudo era muito mais comum. A diminuição se deve a prisão das quadrilhas ligadas a este tipo de crime organizado. Estamos identificando os autores e cada vez mais conseguimos nos antecipar a este tipo de ação.”, explica.

A Lei Municipal 4.819, de 22 de março de 2010 determina que a multa para quem descumprir é de R$ 3.000 e o dobro em caso de reincidência.

A orientação da polícia é que os clientes busquem agências que tenham o tapume e que também cobrem que a lei seja cumprida. “Em locais onde há o tapume não registramos este tipo de crime, pois as quadrilhas mantêm alguém dentro do banco para ver o que o cliente esta fazendo. Sem o biombo ele consegue ver se é depósito e até a quantia”, explicou.

Outra orientação é que os clientes que pretendem fazer movimentações financeiras altas realizem por meios eletrônicos, como transferências. E, se for realmente necessário sacar grande quantidade, solicite ao banco que isso ocorra em uma sala exclusiva, por segurança.

Semadur

Até o fechamento da matéria a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano. Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano não se manifestou a respeito da cobrança das agências pelo cumprimento da lei.

(Colaborou Eduardo Coutinho)

Jornal Midiamax