Polícia

Atirador de NY tinha sido demitido e matou ex-colega, diz polícia

Pelo menos dez pessoas foram baleadas na manhã desta sexta-feira (24) durante um tiroteio em Nova York. A polícia de Nova York informou que o atirador, Jeffrey Johnson, de 53 anos, foi demitido da empresa de importação Hazan ano passado. Ele atirou na cabeça de uma ex-colega de trabalho, uma mulher de 41 anos cuja […]

Arquivo Publicado em 24/08/2012, às 14h55

None

Pelo menos dez pessoas foram baleadas na manhã desta sexta-feira (24) durante um tiroteio em Nova York. A polícia de Nova York informou que o atirador, Jeffrey Johnson, de 53 anos, foi demitido da empresa de importação Hazan ano passado. Ele atirou na cabeça de uma ex-colega de trabalho, uma mulher de 41 anos cuja identidade não foi informada.


Os tiros aconteceram próximo à torre do Empire State, um dos principais pontos turísticos da cidade. As informações são do Departamento de Polícia de NY e dos bombeiros que atuam no local.


Algumas das vítimas foram encontradas dentro do saguão de entrada do Empire State. No momento do crime, o atirador vestia terno e gravata e carregava uma pasta de executivo. Segundo o “New York Post”, o motivo do tiroteio foi uma briga entre dois colegas de trabalho, mas não está claro se eles trabalhavam no edifício nem qual deles começou a disparar.


A arma do crime foi encontrada próximo ao corpo do atirador, que foi baleado em confronto com policiais enquanto fugia. Agentes do FBI estão no local, mas fontes da polícia afirmam que o crime não tem nenhuma ligação com terrorismo.


O tiroteio ocorreu no auge da temporada turística, do lado de fora de uma das atrações mais populares de Nova York, alarmando turistas e transeuntes em uma das regiões mais movimentadas da cidade. Os tiros começaram por volta das 9h locais (10h em Brasília) na rua 34 com a Quinta Avenida, segundo a rede de TV americana CBS.


As ruas 32, 33 e 34 estão isoladas e há uma presença maciça de policiais na área, o que provocou confusão no trânsito local.


“Eu ouvi os tiros”, disse à Reuters Dahlia Anister, 33, que trabalha em um escritório perto do prédio de 102 andares. “Foi tipo pou, pou, pou. Foi definitivamente em série.”


“Estava sentada do lado de fora e ouvi três tiros, primeiro, e vi três pessoas correndo pela Park Avenue”, contou uma mulher à CBS. “Então, nós ouvimos de novo e foram 10 a 15 tiros de uma vez, e umas 50 pessoas passaram correndo.”


“Comecei a ver carro de polícia descendo a Quinta Avenida e a rua 34, estava tudo fechado”, disse outra testemunha ao canal.


A rede NBC informou que esse foi o segundo ataque nas proximidades. Em 1997, um homem de 69 anos abriu fogo no deck de observação do Empire State e deixou uma pessoa morta e seis feridas, para, em seguida, se matar com um tiro na cabeça. O atirador, Ali Abu Kamal, foi levado para o hospital e acabou morrendo mais de cinco horas depois.


O Empire State está entre os arranha-céus mais famosos do mundo. Todos os anos, cerca de quatro milhões de pessoas visitam os decks de observação no topo do edifício, que possui 442 metros de altura.

Jornal Midiamax