O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, prestou depoimento nesta quinta-feira (3) à Polícia Federal, no Rio de Janeiro, no inquérito aberto a pedido do Ministério Público Federal para apurar um suposto esquema de pagamento de propina a pessoas ligadas à Federação Internacional de Futebol (Fifa) na década de 90.

Por conta das mesmas denúncias, Ricardo Teixeira já tinha respondido a uma ação penal, arquivada em maio deste ano pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), após um pedido de trancamento.

O delegado da Polícia Federal Vítor Poubel informou que o objetivo do Ministério Público, agora, seria investigar se o suposto esquema continuou depois de 1997.

Pubel não revelou detalhes do depoimento, mas informou que, segundo os advogados de Ricardo Teixeira, os fatos já foram esclarecidos no passado, inclusive na ação que acabou arquivada.