Polícia

Policiamento é reforçado nos altos da Afonso Pena após episódios de violência

A Polícia Militar atuou preventivamente para coibir a violência nos altos da avenida Afonso Pena na noite deste domingo (18). A preocupação era conter a criminalidade especialmente na saída do show dos Titãs, que atraiu milhares de pessoas ao Parque das Nações Indígenas no projeto MS Canta Brasil. Não houve prisões e o evento transcorreu […]

Arquivo Publicado em 18/10/2010, às 12h30

None

A Polícia Militar atuou preventivamente para coibir a violência nos altos da avenida Afonso Pena na noite deste domingo (18). A preocupação era conter a criminalidade especialmente na saída do show dos Titãs, que atraiu milhares de pessoas ao Parque das Nações Indígenas no projeto MS Canta Brasil.


Não houve prisões e o evento transcorreu sem maiores problemas, de acordo com o capitão Joeder, do 9º BPM. Foi convocado um efetivo de 85 agentes de três batalhões da PM, Ciptran, cavalaria, Cigcoe e do curso de formação de praças (Cfap) para acompanhar a movimentação de pessoas na região, que tem sido alvo de episódios recorrentes de violência.


O caso mais recente ocorreu em 3 de outubro, quando Felipe Machado Felicio, 19 anos, foi baleado ao caminhar pela avenida Afonso Pena em frente ao shopping. Ele morreu no dia seguinte na Santa Casa.


O major Emerson, do 9º BPM – responsável por coordenar o trabalho de prevenção à violência – manteve contato com vendedores ambulantes da região, afim de orientá-los sobre a proibição da venda de bebida alcoólica a crianças e adolescentes. “Quando uma criança ingere bebida alcoólica, ela é vítima. Só passa a ser infratora quando causa um dano devido ao consumo de álcool”, explica o capitão Joeder.


Para a Polícia Militar, a redução da criminalidade e a prevenção da violência devem receber o apoio do poder público, como o Conselho Tutelar, a Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) e os órgãos da prefeitura de Campo Grande ligados à fiscalização dos comerciantes.

Jornal Midiamax