O TikTok afirmou, por meio de nota, que é inconstitucional a lei sancionada pelo presidente dos EUA, Joe Biden, que visa proibir o uso do aplicativo em solo americano enquanto for controlada pela chinesa ByteDance. O aplicativo de vídeos disse que vai contestar a decisão.

O TikTok alertou que a proibição “devastaria sete milhões de empresas e silenciaria 170 milhões de americanos”, e acusou a decisão de ser injusta, porque a empresa afirma investir bilhões de dólares para manter os dados de americanos seguros e a plataforma livre de manipulações externas.

A plataforma também enfrenta escrutínio no outro lado do Atlântico, na União Europeia, depois de ter lançado um programa de recompensas que foi acusado pela Comissão Europeia de causar dependência. Após a repercussão, o TikTok informou que vai suspender as funções de recompensa no TikTok Lite.