O chefe da inteligência militar de , major general Aharon Haliva, pediu demissão nesta segunda-feira, 22, por causa de fracassos relacionados ao sem precedentes do Hamas contra o país em 7 de outubro, informaram as . Com isso, ele é a primeira autoridade sênior a deixar o posto por seu papel no mais mortífero ataque já sofrido por Israel.

O pedido de demissão de Haliva pode abrir caminho para outras entre graduados agentes de segurança por causa do ataque do Hamas, que deixou 1.200 mortos, em sua maioria civis, além de fazer quase 250 reféns na Faixa de Gaza. O ataque foi o estopim da guerra israelense contra o Hamas em Gaza, agora em seu sétimo mês.

“O comando de inteligência sob meu comando não esteve à altura da tarefa que nos foi confiada. Eu carrego aquele dia lúgubre, dia após dia, noite após noite. Eu levarei a terrível dor da guerra comigo para sempre”, afirmou Haliva em sua carta de demissão, divulgada pelos militares.

Havia grande expectativa pela demissão dele e de outros líderes militares e de segurança, diante dos fracassos relacionados ao 7 de outubro. Mas o momento para isso não estava claro, pois o Hamas ainda confronta o Hamas em Gaza e enfrenta militantes libaneses do Hezbollah ao norte, enquanto as tensões com o Irã também estão em alta, após ataques trocados entre os dois inimigos. Fonte: Associated Press.