O presidente dos EUA, Joe Biden, condenou os ataques aéreos “sem precedentes” do Irã e seus representantes contra instalações militares em Israel e disse que reunirá os líderes do G-7 no domingo para coordenar uma “resposta diplomática unida ao ataque descarado do Irã”.

Os militares dos EUA deslocaram aeronaves e destróieres de defesa contra mísseis balísticos ao longo da semana passada em apoio a Israel, disse ele. “Graças a esses deslocamentos e à extraordinária habilidade de nossos membros do serviço, ajudamos Israel a derrubar quase todos os drones e mísseis que se aproximavam”, disse ele em um comunicado, reafirmando o compromisso “férreo” dos Estados Unidos com a segurança de Israel.

Nenhum ataque foi relatado contra as forças ou instalações dos EUA na região, disse ele. Biden havia conversado no início da noite com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, disseram autoridades da Casa Branca e de Israel.

Biden estava de folga em sua casa de praia, em Delaware, horas antes do ataque iraniano e retornou à Casa Branca para se reunir com sua equipe de segurança. Ele já tinha antecipado que os Estados Unidos estavam prontos para ajudar Israel. “Estamos dedicados a defender Israel. Apoiamos Israel. Vamos ajudar a defender Israel, e o Irã não terá sucesso”, concluiu.

O ministro da defesa de Israel, Yoav Gallant, alertou em uma declaração televisionada no início deste domingo que, embora a atual onda de ataques contra Israel esteja completa, os israelenses devem permanecer em alerta “ainda não acabou”. Ele também elogiou as forças armadas de Israel e dos Estados Unidos por bloquearem o ataque iraniano e disse que a defesa contra o ataque iraniano foi “uma conquista impressionante”.

“Devemos estar preparados para todos os cenários. Dito isso, frustramos a onda mais significativa [do ataque], e o fizemos com sucesso”, disse ele.

Em sua primeira resposta pública ao ataque iraniano, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu escreveu no X na manhã de domingo: “Nós interceptamos. Nós bloqueamos. Juntos venceremos”

Quase 99% das ameaças aéreas lançadas contra Israel no sábado foram interceptadas, disse o Contra-Almirante Daniel Hagari, porta-voz-chefe das forças armadas, durante comentários na televisão. Ele acrescentou que a base da força aérea de Nevatim, no deserto de Negev, no sul de Israel, sofreu apenas danos leves e estava funcionando. “O Irã pensou que paralisaria a base”, disse o contra-almirante Hagari. “Ele falhou.”

Um total de 12 pessoas foram levadas ao Soroka Medical Center, no sul de Israel, durante a noite, segundo a porta-voz do hospital, Inbar Gutter. Uma delas – uma menina de 7 anos – foi gravemente ferida por fragmentos de mísseis, levada para a sala de cirurgia e está atualmente em tratamento intensivo. Oito outras pessoas foram tratadas por ferimentos leves causados por estilhaços ou por correrem para se abrigar, enquanto três pessoas foram levadas para tratamento de ansiedade.