Cerca de 900 mil pessoas tiveram de sair de suas casas e serem transferidas para locais seguros com a chegada do tufão Saola, que atingiu o sul da China. Parte de Hong Kong e outras partes da costa sul do país suspenderam os trabalhos, aulas e transportes.

Uma pessoa morreu em Shenzhen, segundo a mídia local, depois que uma árvore caiu e atingiu o veículo da vítima.

Conforme o departamento meteorológico da província de Guangdong, a tempestade atingiu um distrito periférico de Zhuhai, ao sul de Hong Kong, às 3h30 (horário local). A previsão é de que o tufão enfraqueça gradualmente e siga para o mar.

Na sexta-feira (1), 780 mil pessoas em Guangdong saíram de áreas de risco, assim como outras 100 mil cidadãos na vizinha Fujian. Mais de 80 mil barcos de pesca tiveram que voltar para o porto.

O início do ano letivo chinês também acabou adiado em uma semana. Houve o cancelamento de cerca de 460 voos. Todos os trens que entravam ou saíam da província de Guangdong entre a noite de sexta-feira e a noite de hoje também estão parados, conforme o site Metrópoles.

Segundo o Observatório de Hong Kong, o Saola, com ventos que podem chegar a 190 km/h, chegou bem próximo da cidade às 23h de sexta-feira. Na manhã de sábado, a velocidade caiu para 90 km/h.

Outra tempestade, chamada Haikui, está se movendo para o leste da China. Se ela se juntar ao Saola, partes das províncias de Guangdong, Fujian e Zhejiang sofreriam fortes ventos e fortes chuvas. Haikui pode atingir a costa leste de Taiwan neste domingo (3).