Um forte de 6,2 graus de magnitude atingiu e outras áreas do leste do nesta sexta-feira, 24, informaram a Agência Meteorológica do Japão e o Serviço Geológico dos Estados Unidos. Segundo os órgãos, não há previsão de tsunami nem registro de feridos.

Fortes tremores foram relatados nas províncias de Chiba e Ibaraki, mas os serviços de meteorologia disseram que havia poucas chances de danos graves ou mortes. Grandes edifícios na capital tremeram e o serviço ferroviário foi interrompido temporariamente quando o terremoto atingiu uma profundidade de cerca de 50 quilômetros às 19h03 (07h03 no horário de Brasília), nas águas do Pacífico, na província japonesa de Chiba.

A autoridade nuclear japonesa não detectou nenhuma anomalia nas usinas nucleares da região. Pouco antes de os habitantes de Tóquio sentirem o tremor, o sistema avançado de detecção de terremotos do Japão pediu às emissoras de televisão que alertassem sobre um terremoto potencialmente forte.

“Foi como estar em um barco flutuando na água, balançando de um lado para o outro e pareceu durar mais de 30 segundos”, disse um apresentador da NHK após o tremor.

O Japão é um dos países mais nações propensas a terremotos. No início de maio, um tremor de magnitude 6,3 atingiu a região de Ishikawa, no centro do país, matando uma pessoa e ferindo 49. Em 2011, um grande terremoto no nordeste do país causou um tsunami devastador e o colapso de uma usina nuclear, deixando 18 mil mortos ou desaparecidos.