Pelo menos oito pessoas morreram e outras sete estão desaparecidas após dois barcos virarem perto de uma praia em San Diego, no Estado americano da Califórnia, no final da noite deste sábado, 11. Segundo autoridades locais, há a suspeita de que as embarcações servissem para imigração ilegal.

Conforme o suboficial da Guarda Costeira dos Richard Brahm, uma mulher que estava em um dos barcos de estilo panga – pequenos barcos abertos com motores de popa – ligou para a emergência para informar que uma embarcação havia virado em Black’s Beach. “A testemunha que ligou afirmou que o barco que virou tinha 15 pessoas a bordo, mas isso é apenas uma estimativa”, disse Brahm.

Equipes da Guarda Costeira e do de San Diego retiraram oito corpos da água. No entanto, a névoa espessa dificultou o resgate de mais vítimas. As buscas continuaram neste domingo, 12, e as autoridades esperavam o tempo melhorar para contar com o apoio de helicópteros.

Os salva-vidas encontraram “corpos sem vida e duas pangas viradas espalhadas por uma área de cerca de 400 metros”, disse a porta-voz dos bombeiros, Monica Muñoz. “Vários coletes salva-vidas e barris de combustível também foram achados.”

“Muitas vezes, esses barcos estão superlotados, a é ruim”, disse James W. Spitler, comandante do setor da Guarda Costeira para a região do Pacífico. Ele afirmou ainda que o clima ruim e a baixa visibilidade teriam tornado “muito desafiador para qualquer um operar nessas condições”. “Eles provavelmente eram um dos poucos marinheiros no mar.”

Daniel Eddy, vice-chefe de operações dos bombeiros de San Diego, disse que a havia um longa faixa de destroços na praia. O trecho de areia também é conhecido como Torrey Pines City Beach e Torrey Pines State Beach – o município de San Diego e o Estado da Califórnia dividem a gestão do espaço.

O suboficial da Guarda Costeira Eddie Berrios confirmou que oito pessoas morreram e que as equipes estavam procurando por pelo menos mais sete. Ele não sabia que tipo de barcos eram, mas disse que as pangas usadas por imigrantes ilegais costumam desembarcar naquela praia. Não havia informações sobre prisões e nacionalidade dos passageiros das embarcações.

Saiba Mais