Um acidente de ônibus deixou 21 mortos em Veneza, na Itália, após o veículo cair de uma ponte e explodir na noite dessa terça-feira (3). O prefeito da cidade, Luigi Brugnaro, decretou um dia de luto e descreveu o acidente como uma “cena apocalíptica”.

Equipes de trabalharam até a madrugada desta quarta-feira (4), para recuperar os corpos dos destroços. 12 pessoas ficaram feridas e foram encaminhadas para um hospital, segundo a prefeitura.

Autoridades de Veneza disseram que o ônibus estava com muitos turistas e que dois menores estavam entre os mortos. Diversos ucranianos estão entre as vítimas. Com base nos passaportes recuperados, o acidente também teve vítimas da , e Croácia e o motorista do ônibus era italiano.

O governador da região de Veneto – da qual Veneza é capital -, Luca Zaia, informou o balanço de “pelo menos 21 vítimas e mais de 20 pessoas hospitalizadas, muitas delas em estado grave”.

Zaia lamentou uma “tragédia de enormes proporções que também afetou menores de idade”. Os bombeiros explicaram que o veículo caiu de uma ponte que atravessa uma linha de trem e pegou fogo entre as localidades de Mestre e Marghera, que ficam no município de Veneza.

“O ônibus capotou. O impacto foi terrível porque caiu quase 10 metros”, disse o comandante dos bombeiros de Veneza, Mauro Luongo, à imprensa.

A primeira-ministra da Itália, Giorgia Meloni. transmitiu as suas “profundas condolências” aos familiares das vítimas e o presidente Sergio Mattarella também expressou o seu pesar pela tragédia.

O ministro do Interior italiano, Matteo Piantedosi, afirmou que “o fogo se espalhou rapidamente”. “O saldo é trágico e dramático”, acrescentou no noticiário televisivo da emissora pública Rai1.

O acidente mais grave desse tipo na Itália ocorreu em 28 de julho de 2013, quando um ônibus que transportava cerca de 50 pessoas da província de Nápoles, que retornavam de uma excursão de três dias, caiu 30 metros de um viaduto perto de Avellino. Naquele desastre, 38 pessoas morreram. (Com agências internacionais).

Saiba Mais