Neste domingo (15), o Ministro da Energia e Infraestruturas israelense, Katz, anunciou que o governo voltará a fornecer água para a região sul da Faixa de Gaza, serviço interrompido totalmente desde o dia 9 de outubro.

A decisão foi tomada após um acordo firmado entre o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. “A decisão de abrir as águas ao sul da Faixa de Gaza, acordada entre o primeiro-ministro Netanyahu e o presidente Biden, resultará no deslocamento da população civil para o sul da Faixa de Gaza e permitirá reforçar o cerco geral em Gaza nas áreas de eletricidade, água e combustível”, declarou o ministro Katz, na rede social X, antigo Twitter.

Para ele, o ato deve facilitar a das forças de segurança israelenses no sentido de destruir a infraestrutura do Hamas durante todo o conflito.

Entenda

No último dia 09, o primeiro-ministro de Israel, ordenou um “cerco completo” à Faixa de Faza, o que incluiu o corte de água, luz e a entrada de comida. Lembrando que o território já convive com um bloqueio parcial há 16 anos.

A medida foi duramente criticada por integrantes da (Organização das Nações Unidas), que pontuaram que o não fornecimento de água potável poderia aumentar o risco da propagação de doenças entre a população.

No último sábado (14), a Agência das Nações Unidas para os Refugiados da Palestina publicou uma nota pedindo para que voltassem com o fornecimento de combustível para que os cidadãos pudessem buscar água limpa e se deslocar.

Saiba Mais