O governo da Guiana informou nesta quinta-feira, 7, que encontrou os destroços do que caiu perto da com a Venezuela. Cinco oficiais militares a bordo morreram e outros dois sobreviveram. O helicóptero militar desapareceu na quarta-feira, 6, cerca de 48 quilômetros a leste da fronteira venezuelana, quando enfrentava más condições climáticas, enquanto transportava oficiais que realizavam uma inspeção de rotina das tropas na área florestal.

“Meu coração dói e se afoga em tristeza pela trágica perda de alguns de nossos melhores homens fardados”, disse o presidente Irfaan Ali em comunicado postado nas redes sociais, chamando a perda de “imensurável”. Ali identificou os falecidos como um general aposentado, um coronel e dois tenentes-coronéis.

O primeiro-ministro, Mark Phillips, disse que ainda estão tentando determinar o que causou a queda do helicóptero – autoridades disseram em entrevista coletiva na quarta-feira que não havia indicação de fogo hostil. “Precisamos descobrir o que aconteceu. A busca e o resgate agora passaram para uma busca e recuperação”, disse Phillips à Associated Press.

O chefe do Exército, General Omar Khan, disse aos repórteres na quarta-feira à noite que as Forças de Defesa da Guiana perderam contato com a aeronave Bell 412 EPI novíssima após decolagem do assentamento Olive Creek, no oeste da Guiana, depois de uma parada para reabastecimento.

Disputa com Venezuela

O incidente na área montanhosa e densamente arborizada é o pior da história militar da Guiana. Ele ocorreu durante uma escalada na disputa diplomática com a Venezuela sobre uma vasta região conhecida como Essequibo, rica em minerais e localizada próxima a enormes depósitos de . A região faz fronteira com a Venezuela, que reivindica Essequibo como seu território. Fonte: Associated Press.

Saiba Mais