As Forças de Defesa de divulgaram no X (ex-Twitter) ter matado o chefe de uma organização terrorista em Rafah, na fronteira com o . Na postagem, dizem que “continuam a atacar o tempo todo em toda a Faixa de Gaza”. Os militares israelenses afirmam que mataram Rafat Harev Hossein Abu Halal, “chefe da ala militar da organização terrorista Comitês de Resistência Popular, em Rafah”, bem como “vários agentes pertencentes à força de Najaba do Hamas”.

O ataque aéreo para matar Abu Hilal foi feito em Rafah, a cidade fronteiriça entre o sul da Faixa de Gaza e o Egito onde está o grupo de brasileiros que tenta deixar o território.

Outras milhares de pessoas, entre palestinos e estrangeiros, também se concentram na cidade enquanto aguardam as negociações travadas entre Israel e Egito para abertura dos postos de fronteira locais.

“Durante o último dia, as IDF (Forças de Defesa de Israel), dirigidas por Shin Bet, destruíram centenas de infraestruturas terroristas do Hamas, dezenas das quais foram atacadas no bairro de Sageya. As centenas de infraestruturas terroristas que foram atacadas incluem locais de lançamento de mísseis antitanque, poços de túnel, infraestruturas de inteligência, quartéis-generais operacionais e outros quartéis-generais”, disseram as IDF.

Líder terrorista

Os militares israelenses afirmaram que Abu Hilal chefiava o braço militar dos CRP (Comitês de Resistência Popular), que agrega milícias de Gaza e é considerado um grupo terrorista por Israel e pelos Estados Unidos.

Alvos do Hamas foram bombardeados na Faixa de Gaza nas últimas horas. Israel disse que conseguiu destruir postos de lançamento de mísseis, túneis, bases de inteligência e centros de comando terroristas.

“As Forças de Defesa de Israel destruíram infraestruturas terroristas na Faixa de Gaza e mataram agentes terroristas, incluindo membros seniores de diferentes organizações terroristas”, afirmou em comunicado.

Este é o 13º dia de conflito no Oriente Médio, que começou em 7 de outubro após um ataque do Hamas contra Israel. Desde então, a região vive uma escalada de tensões.

O conflito levou o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, a visitar Israel na quarta-feira (18). Nesta quinta-feira, o país do primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak.

Enquanto isso, milhares de civis palestinos aguardam a chegada de ajuda humanitária vinda do Egito na Faixa de Gaza. Israel já anunciou que vai permitir a entrega de alimentos, água e medicamentos, desde que a ajuda não chegue ao Hamas.

Ainda não está claro quando a ajuda atravessará a fronteira do Egito com a Faixa de Gaza. Os kits devem entrar na região pela passagem de Rafah, que também foi alvo de bombardeios recentes.

Saiba Mais