Rishi Sunak, ex-ministro de Finanças do Reino Unido, foi escolhido nesta segunda-feira (24) pelo Partido Conservador como seu novo líder e, consequentemente, novo primeiro-ministro britânico, posto até então ocupado por Liz Truss, que renunciou na última sexta-feira após 44 dias de mandato.

O parlamentar, que será o primeiro líder de minoria étnica do país, havia ficado em segundo lugar na corrida que levou Truss ao poder há pouco mais de um mês, e terá agora a missão de consertar o caos deixado por sua antecessora.

Sunak será o primeiro britânico de origem hindu a assumir o governo, como também a primeira pessoa não branca a comandar o Reino Unido. Com sorriso permanente no rosto, aparência de bom aluno e apenas 42 anos, também será o governante mais jovem do país desde o século XIX.

Bilionário, Sunak é também o parlamentar mais rico de todo o Reino Unido, com uma conta bancária que contrasta com as dificuldades enfrentadas por boa parte dos britânicos diante da maior inflação em 40 anos. O novo premier vai herdar uma economia fragilizada por juros crescentes, contas de que pesam no orçamento, impostos altos e nenhuma estratégia sobre como retomar o crescimento.

Ex-braço direito de Boris

Em fevereiro de 2020, Sunak foi nomeado ministro das Finanças após apenas cinco anos no Partido Conservador. Um mês depois, eclodiu a pandemia de e seus impactos econômicos. Graças ao seu enorme pacote de auxílios para mitigar os efeitos da crise sanitária, tornou-se um dos integrantes mais populares do governo.

O então premier, Boris Johnson, por sua vez, acumulou pela catastrófica resposta inicial de Downing Street, sede do governo, à pandemia. Boris até se recuperou com a rápida campanha de vacinação, mas pouco depois eclodiu o “partygate”. O escândalo de festas celebradas na sede do governo, enquanto os britânicos estavam de quarentena para impedir a disseminação do vírus, ajudaria a derrubá-lo após meses nos noticiários.