Paraguai emite alerta vermelho após duas crianças alemãs serem sequestradas por pais antivacina da covid

A suspeita é de os pais são negacionistas da vacina da covid-19 e fugiram para viver em comunidades que seguem suas crenças
| 01/06/2022
- 11:43
Paraguai emite alerta vermelho após duas crianças alemãs serem sequestradas por pais antivacina da covid
A mãe de Clara Magdalena Egler, uma das duas alemãs desaparecidas no Paraguai, pediu ajuda para encontrar a menina. Foto: Daniel Duarte

Um casal formado por por Andreas Rainer Egler, pai de Clara Magdalena Egler, 10, e Anna Maria Egler, mãe de Lara Valentina Blank, 11, sequestraram as meninas alemãs e as levaram para o . A suspeita é de que eles são negacionistas da vacina da covid-19 e fugiram para viver em comunidades que seguem suas crenças.

De acordo com o a CDIA, (Coordenadoria dos Direitos da Criança e do Adolescente) As suspeitas são de que: "Provavelmente pretendiam morar em alguma comunidade antivacina no interior do país. Eles pertencem a grupos negacionistas da covid-19". As informações são do Portal Uol.

Durante uma entrevista coletiva em Assunção, capital do Paraguai, Anne Maja Reiniger-Egler, mãe de Clara disse que a menina adora estar com amigos e "sempre precisa de amigos para fazer suas acrobacias". A mae viajou até o país em busca da filha.

Durante uma audiência no Ministério Público na última segunda-feira (30) a imigrante chegou a se emocionar diante das câmeras ao pedir ao povo paraguaio que a ajudasse a encontrar sua filha.

A mãe de Clara chegou ao Paraguai pela primeira vez em fevereiro deste ano, com seu atual marido e com Filip Blank, pai de Lara. Eles começaram uma busca pelas crianças no Paraguai, mas até o momento não tiveram sucesso.

Enquanto as autoridades seguem nas buscas pelas meninas, os processos judiciais e criminais foram iniciados em ambos os países, incluindo um pedido de extradição de Andreas Rainer Egler e Anna María Egler, que são requeridos pela justiça alemã.

O Paraguai também emitiu um "alerta vermelho" para sua prisão, segundo informaram autoridades policiais.

Segundo o portal internacional de notícias El País, as autoridades suspeitam que Andreas e Anna Maria possam fugir com as meninas para outras áreas ou cruzarem ilegalmente a fronteira do Paraguai para o Brasil ou Argentina.

Durante o período de pandemia, a se tornou o país com o maior número de expatriados, pessoas Sair que saem da sua pátria para residir no estrangeiro. Eles são estão na terceira maior comunidade de imigrantes do país, atrás de brasileiros e argentinos. Segundo o Portal Uol, pelo menos 1.644 alemães concluíram seu processo de colonização no Paraguai em 2021, conforme relatado pela Diretoria de Migração. Isso é quase o triplo do número de 2020.

Veja também

Boris anunciou renúncia nesta quinta-feira

Últimas notícias