No Chile uma mulher foi socorrida as pressas e levada a um hospital ao passar mal com fortes dores abdominais. Nos exames foi encontrado um chip de cachorro em seu estômago, e o caso deixou todos intrigados.

Ao ser questionada pelos médicos sobre o que havia comido nas últimas horas, a mulher mencionou que parou em lugar para pegar esses espetinhos de ”rua”. Segundo o site Ndmais, após diversas investigações sobre o caso, foi concluído que de fato, a carne que a mulher engoliu era de um cachorro que provavelmente tinha o objeto inserido em sua pele.

O microchip é do tamanho de um grão de arroz, e normalmente, é implantado sob a pele do animal, de forma que suas informações de localização sejam enviadas a um dispositivo específico.

A denúncia foi feita pela vizinha e vereadora Michelle Tabilo Gatica, que também expôs a história em uma publicação em suas redes sociais. “Ontem no Conselho Municipal relatei o caso de uma vizinha que consumiu um anticucho (carne preparada com pedaços de carne bovina) na rua. Ela chegou ao hospital com uma dor de estômago e, infelizmente, tinha um chip de um cachorrinho no estômago”, escreveu. A vereadora alegou que solicitou “controle de alimentos no comércio ilegal”, para que tais casos não voltassem a afetar os moradores do município, e durante a fiscalização, a subprefeitura encontrou vários alimentos e cozinhas irregulares e apreendeu o material.

A mulher se recuperou e passa bem, mas, após esse acontecimento, ficou proibido pela subprefeitura essa categoria de comércio.