Mundo

Bolsonaro é o único presidente a comparecer na Assembleia Geral da ONU sem se vacinar contra a Covid-19

Vacinação é obrigatória para circular em locais públicos fechados em Nova York, mas ONU abriu exceção diplomática

Renata Barros Publicado em 20/09/2021, às 11h00

Boa parte dos líderes mundias não só se vacinaram, como compartilharam imagens para estimular a população
Boa parte dos líderes mundias não só se vacinaram, como compartilharam imagens para estimular a população - Foto: Reprodução

Entre os 19 líderes do G20 presentes na 76ª Assembleia Geral da ONU, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, é o único que afirma não ter tomado nenhuma vacina contra a Covid-19.

Bolsonaro, que embarcou neste domingo (19) para Nova York, local onde é realizada a reunião, declarou que não pretendia tomar a vacina para ir ao evento da ONU. Ele seguiu para os Estados Unidos na companhia do Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Chegou a ser debatido se os líderes e suas comitivas diplomáticas teriam que apresentar atestados de vacinação para entrar em Nova York, já que a cidade exige comprovação de vacinação para circular em espaços públicos fechados. No entanto, a ONU acabou informando às comitivas que haveria uma exceção diplomática e a entidade não iria cobrar os atestados.

Não houve divulgação oficial sobre o status vacinal de outros três líderes que vão representar seus países na assembleia: os ministros das Relações Exteriores da China e da Arábia Saudita e o primeiro-ministro da Rússia, Mikhail Mishustin.

No entanto, tanto o rei da Arábia Saudita, Salman Bin Abdulaziz Al-Saud, quanto o presidente da Rússia, Vladmir Putin, tomaram suas vacinas. Já a situação vacinal do presidente da China, Xi Jinping, é um mistério: o país não divulgou se o presidente se vacinou ou não. Ele não participará do encontro de forma presencial.

Jornal Midiamax