Segundo ele, faria bem para os relacionamentos e a saúde dos funcionários

Per-Erik Muskos, vereador de Övertorneå, na Suécia, fez uma sugestão curiosa em reunião da Câmara Municipal: oferecer pausas (pagas) de uma hora durante o horário de trabalho para que os funcionários possam ter relações sexuais com seus parceiros.

Muskos expressou preocupação sobre os casais que não têm tempo suficiente juntos, e observou que “estudos” mostram que o é saudável. “Trata-se de ter melhores relacionamentos”, disse a AFP.

Na imprensa sueca, ele enfatizou os benefícios de bem-estar, que ele disse ser apreciado por pessoas solteiras e acopladas.

A proposta não é tão absurda assim no contexto da Suécia: o país de fato valoriza a qualidade de vida. Os suecos fazem entre duas e três pausas durante o dia para tomar café, comer um docinho e relaxar por alguns minutos; costumam trabalhar várias horas a menos por ano em relação a países como Inglaterra, Estados Unidos e Rússia; e o país oferece 480 dias de licença maternidade (período que pode ser dividido entre os dois pais da criança).

O melhor de tudo é que os benefícios não demonstram ter impactos negativos na economia: estima-se que a Suécia crescerá 2,4% neste ano — 0,8% a mais que o estimado para os outros países da União Europeia.