Trabalhadores do setor organizam greve por todo o país

Centenas de postos de abastecimento fecharam ou entraram em racionamento de combustível na França, depois de uma onda de protestos contra a reforma nas leis trabalhistas. Desde sexta-feira (23), manifestantes bloqueiam acessos à refinarias em todo o país, de acordo com o portal francês Euronews.

No noroeste do país, onde o combustível passa por racionamento, a UFIP (União Francesa das Indústrias Petrolíferas) afirma que a situação é ‘particularmente grave’.

O presidente francês, François Hollande, havia afirmado na semana passada que não voltaria atrás na aprovação da reforma, votada pela Câmara Baixa do Parlamento Francês.

O governo da França afirma que o país tem reserva de combustíveis o suficiente para lidar com a escassez causada pelos protestos, segundo a agência britânica Reuters.

O chanceler Manuel Valls disse, no domingo que “algumas das refinarias e depósitos que foram bloqueados estão desbloqueados ou serão nas próximas horas e dias”, em uma entrevista a vários repórteres em Israel.

Ativistas x Hollande

Os protestos estão sendo feitos por toda a França desde que a reforma, que traz diversos pontos impopulares, foi aprovada. Ativistas acusam François Hollande, que se define como socialista, de não cumprir suas promessas de campanha.

Na última terça-feira (17), Hollande disse em entrevista a uma rádio francesa que continua a ser a única alternativa para a esquerda nas próximas eleições, previstas para abril-maio de 2017. Na ocasião, disse que se seu partido não vencer, “vencerá a direita ou exrema-direita”. 

(Com supervisão de Mayara Sá)