Mundo

Em discurso de posse, presidente eleito das Filipinas promete enforcar criminosos

Rodrigo Duterte prometeu combate duro ao crime organizado

Norberto Liberator Publicado em 30/06/2016, às 13h06

None
duterte-president.jpg

Rodrigo Duterte prometeu combate duro ao crime organizado

Rodrigo Duterte, o polêmico advogado eleito presidente das Filipinas, tomou posse nesta quinta-feira (30) e, em seu juramento, voltou a defender posições consideradas controversas. O ex-prefeito da cidade de Davao, conhecido por seus métodos severos de combate ao crime, reforçou suas promessas de campanha em audiência no palácio presidencial.

Duterte disse, em seu discurso de posse, que os policiais terão permissão para atirar em criminosos. “Atirem para matar, ouviram bem?”, disse o presidente, segundo informações da agência Reuters. “Esqueçam as leis sobre direitos humanos. Vou atirar os criminosos à baía de Manila para alimentar os peixes”, havia declarado antes de tomar posse.

De acordo com o portal EuroNews, ele é acusado de envolvimento com esquadrões da morte, que mataram mais de 1.000 pessoas em Davao, sua cidade, que tem cerca de 1 milhão de habitantes e é uma das mais violentas das Filipinas, localizada na ilha de Mindano, sul do país.

O chefe do Executivo recém empossado chamou atenção da imprensa do mundo inteiro quando declarou, por exemplo, que condenados por roubo ou narcotráfico devem ser “enforcados até ficarem sem cabeça”, e por promessas feitas durante sua campanha, em que disse que iria “chacinar” quem cometesse crimes em seu país. Na mais recente polêmica, Duterte ofereceu medalhas a quem matasse criminosos.

Ele afirmou, no discurso de hoje, que reconhece que seus métodos são “pouco ortodoxos e no limite da legalidade”, mas que deve trabalhar para reintroduzir a pena de morte, que foi abolida nas Filipinas em 2006. Duterte foi eleito com cerca de 16 milhões de votos. 

Jornal Midiamax