Porta-voz do disse que o papa “ama compartilhar os costumes locais”

O porta-voz do Vaticano, o padre Federico Lombardi, afirmou nesta terça-feira (30) que o “é livre” para mascar folhas de coca para combater os efeitos da altitude durante sua viagem à Bolívia, como anunciou o ministro da Cultura do país andino.

“O papa atuará do modo que considerar oportuno. Me parece que é um costume popular para a altitude. Não me confirmou nem negou se vai se adequar a este uso tão popular e eficaz”, declarou Lombardi em um encontro com a imprensa para falar sobre a viagem do pontífice ao Equador, Bolívia e Paraguai de 5 a 13 de julho.

“É como o mate argentino, que normalmente aceita se o oferecem na Praça de São Pedro. É um costume local, como uma água aromática. Vocês sabem que o papa ama compartilhar os costumes locais”, disse Lombardi.

Segundo o ministro da Cultura boliviano, Marko Machicao, o papa solicitou “especificamente” mascar coca para combater os efeitos da altitude, quando pousar em 8 de julho no aeroporto de El Alto, que fica mais de 4.000 metros acima do nível do mar.

Lombardi recordou que Francisco visitou estes países quando era arcebispo de Buenos Aires e que se reuniu em outubro de 2014 no Vaticano com o presidente Evo Morales, o primeiro presidente indígena da Bolívia e líder do movimento sindical “cocalero” boliviano, que lutou nas décadas de 80 e 90 contra a erradicação da folha de coca, por considerar o seu uso parte da tradição. Morales lidera uma campanha internacional a favor da milenar planta, consumida em uma prática ancestral na Bolívia, inclusive em rituais religiosos.

A folha de coca é o principal insumo para a produção de cocaína através de um processo químico. Morales, no entanto, defende que mascar a folha regula a diabetes ou a pressão arterial alta, entre outros benefícios.