Mujica descarta depor no Senado brasileiro sobre ‘mensalão’

Ex-presidente uruguaio negou ter conversado com Lula sobre o caso de corrupção, com diz trecho de sua biografia
| 11/05/2015
- 18:04
Mujica descarta depor no Senado brasileiro sobre ‘mensalão’

Ex-presidente uruguaio negou ter conversado com Lula sobre o caso de corrupção, com diz trecho de sua biografia

O ex-presidente do Uruguai José Mujica disse neste domingo (10) que não irá ao Brasil caso seja convidado a depor no Senado sobre as informações que ouviu do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva envolvendo o escândalo do “mensalão”.

“Não vou viajar para qualquer lugar”, disse Mujica à imprensa após votar nas eleições municipais, nas quais sua mulher, Lucía Topolansky, concorre à Intendência de Montevidéu.

Durante a semana, a biografia autorizada de Mujica “Uma ovelha negra no poder” gerou polêmica no Brasil ao revelar reflexões de Lula sobre o “mensalão”. De acordo com o livro, escrito pelos jornalistas uruguaios Andrés Danza e Ernesto Tulbovitza, Lula teria contado a Mujica no início de 2010, em uma reunião em Brasília, que tinha que “lidar com muitas coisas imorais, chantagens” e que “esta era a única maneira de governar o Brasil”.

Na sexta-feira, Mujica negou a conversa com Lula sobre o escândalo do “mensalão”. “Aparece o amigo Lula ali conversando comigo sobre o ‘mensalão’, mas nunca falei com um brasileiro sobre o ‘mensalão’, por questões minhas. (José) Dirceu para mim não é um criminoso, está condenado mas é um formidável lutador”, disse Mujica sobre o ex-chefe da Casa Civil, condenado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) por corrupção.

O líder do Democratas no Senado, Ronaldo Caiado, informou que vai ingressar com um requerimento de convite a Mujica para “colher mais informações sobre a confissão de Lula no seu envolvimento no mensalão”.

Segundo Caiado, que apresentará o requerimento à Comissão de Relações Exteriores do Senado, “a acusação é muito séria, até porque é a própria esquerda brasileira trata Mujica como uma espécie de mártir e coloca sua índole acima de qualquer suspeita”.

“Se ele diz que o ex-presidente Lula, não só confirmou ter conhecimento sobre o mensalão, como admitiu que era a sua única forma de governar o País, isso coloca em xeque toda a tese que o inocentou do esquema”.

Veja também

Últimas notícias